Eventos do réveillon estão suspensos

Atualizado: 10 de Dez de 2020

Prefeitura determina suspensão de toda e qualquer celebração de fim de ano, em bares, restaurantes e clubes. Bares voltam a fechar à meia noite



O aumento dos casos de Covid na cidade, internações e mortes fizeram a Prefeitura adotar medidas para reduzir as aglomerações. Entre elas, o maior controle do acesso às praias, já anunciado na semana passada, e agora a volta do toque de recolher nos bares, depois da meia-noite. Mas a medida mais drástica diz respeito ao réveillon: estão suspensos todos os eventos em casas de festas, bares, restaurantes, clubes e nas praias da cidade na virada do ano. Segundo o Prefeito Rodrigo Neves, é a única forma de evitar, que, 15 dias depois, a cidade viva "uma calamidade". 2020 termina sem festa.


O anúncio foi feito depois da reunião do Gabinete de Crise. O Prefeito apresentou os números da doença na cidade: 18.411 casos, 548 mortes e 135 pessoas hospitalizadas na rede do SUS. E informou que os indicadores de monitoramento da Covid pioraram, chegando a 7,63, "com tendência de alta." O Secretário de Saúde, Rodrigo Oliveira, revelou que nos últimos 30 dias "a gente notou um aumento do número de casos e da ocupação de leitos."


O Secretário de Saúde, Rodrigo Oliveira, na reunião do gabinete


De acordo com o Prefeito, a cidade registrava, até outubro, 40 a 50 novos casos da doença por dia e, em novembro, passou a ter 100, 110 casos por dia. Se tivesse olhado para os números desta semana, teria se assustado: foram 203 casos na segunda,7, e 170 na terça, 8 - 373 novos casos confirmados em apenas 48 horas. No mesmo período, foram seis mortes - três por dia. Os números tomados por períodos curtos não são suficientes para indicar uma tendência. Mas a expansão da doença se confirma a cada dia.


Rodrigo Neves fez um exercício didático, na tentativa de alertar para a necessidade do controle da doença, com o uso de máscaras e álcool em gel, e medidas de isolamento. Segundo ele, "já é estatística", que a grande maioria das pessoas não tem sintomas, são assintomáticas, ou então tem sintomas leves de uma gripe. Mas "também é estatístico" que 10% dos infectados demandam algum tipo de atenção. E 2% vão precisar de atendimento em leitos com suporte respiratório.


Ele explicou que Niterói ainda não tem problemas de leitos hospitalares, mas alertou que a cidade faz parte da Região Metropolitana do Rio, e precisa tomar cuidados para manter o controle da pandemia. Afirmou que não é necessário adotar novas restrições, nem fazer lockdown, mas determinou a suspensão de todos os festejos relacionados ao réveillon.


- Nós decidimos a suspensão de qualquer evento relacionado ao réveillon. Não vamos ter nenhum tipo de evento na praia. Vamos evitar aglomerações. Estamos seguindo a orientação do Comitê científico e vamos proibir qualquer atividade em casas de festa, nos bares, restaurantes, clubes e eventos com cobrança de ingresso. Nenhum evento, além das atividades com nossas famílias, em grupos pequenos. Dessa forma a gente vai evitar que no dia 15 de janeiro, 15 dias depois do réveillon, a gente tenha uma situação de calamidade, como provavelmente vamos ter em outras cidades - advertiu o Prefeito.


A Prefeitura decidiu ainda voltar atrás na autorização para o funcionamento dos bares até de madrugada. Já a partir desta quinta-feira, 10, os bares devem fechar depois da meia-noite.




© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.