A vacina derrota a necropolítica, diz imortal Marco Lucchesi

Presidente da Academia Brasileira de Letras, Marco Lucchesi, afirma que vacina trará consequências científicas dos novos processos para outras doenças


Por Livia Figueiredo

O presidente da ABL, Marco Lucchesi, reforça a importância de um plano de vacinação bem estruturado/ Foto: Reprodução da Internet


Reeleito para o quarto mandato como presidente da Academia Brasileira de Letras, Marco Lucchesi, 57 anos, afirma que tomará a vacina contra a Covid-19. Em seu depoimento ao A Seguir Niterói, ele alerta para a importância de um programa de vacinação bem delineado que dialogue com os desafios atuais da população.


Lucchesi afirma que dificilmente retomaremos à normalidade no primeiro semestre. Entre os benefícios da vacinação, ele destaca o controle da pandemia, a redução do número de contaminados e óbitos, além do legado para novos processos científicos quanto ao enfrentamento de outras doenças no futuro.


- Após um circo de horrores e imagens dantescas, a vacina chega contrariando o interesse de obscurantistas e dos gerentes da necropolítica. É uma boa notícia, mas é preciso que se constitua uma programação e um ritmo que respondam à altura o desafio da nossa população. Claro que vou buscar a vacina respeitando corretamente o momento em que minha categoria será convocada. É um bom sinal, mas dificilmente retomaremos nossa vida ao normal nesse primeiro semestre. É um passo muito importante, não apenas pelos benefícios no enfrentamento da atual pandemia, mas também pelas consequências científicas dos novos processos que se ampliarão para outras doenças - ressaltou.