Alerta Laranja: Niterói regride oficialmente à 'atenção máxima'

Atualizado: Mar 27

Depois de nove meses, indicador síntese passa de 10 pela primeira vez; decreto já previa tendência de piora da pandemia

Alerta Laranja: comércio fechado na Rua Moreira César. Foto do leitor


Em nova transmissão do Gabinete de Crise, a Prefeitura de Niterói anunciou que a cidade retornou, oficialmente, ao Alerta Laranja. Trata-se de um reposicionamento da cidade na planilha de acompanhamento da pandemia. Com nota 10,5 no painel, a cidade volta ao nível Atenção Máxima, do qual havia saído em junho do ano passado.


Leia mais: Primeira noite de 'lockdown' em Niterói tem Praia de Icaraí cheia e cenas de 'jeitinho'


— Hoje estamos comunicando que, em função da ocupação dos leitos em Niterói e de vários parâmetros, nós chegamos ao Alerta Laranja — declarou o Prefeito Axel Grael.


Ainda segundo Grael, por prever a tendência de piora no cenário, os decretos que estabelecem o período emergencial já contemplavam as medidas que deveriam ser adotadas na fase laranja. Os esforços, agora, serão para reverter a curva de crescimento na taxa de transmissão.


Na sequência da live, o Secretário Municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, falou mais detalhadamente sobre os critérios que levaram a cidade ao Alerta Laranja. Segundo o titular pasta, quatro índices colaboraram com a piora da nota de Niterói.


  • Taxa de crescimento de pacientes internados

  • Taxa de casos ativos

  • Incidência de novos casos

  • Taxa de ocupação de leitos de UTI


Ainda segundo Oliveira, as novas variantes em circulação no Brasil, especialmente a P1 (Manaus), seriam responsáveis pela mudança em aspectos da pandemia.


— Embora estejamos no Laranja, tem um fato novo que diferencia o que estamos vivendo hoje do que vivemos no ano passado, que é a P1. A curva de crescimento é muito mais aguda — afirmou Rodrigo.


Apesar da menção à nova variante, oficialmente, a cidade ainda não teve nenhum caso detectado. Até a última quarta-feira, todos os resultados de amostras enviadas pela Prefeitura para sequenciamento genético deram negativo para novas cepas.