Alta no número de mortes impede Niterói de retornar ao 'Sinal Amarelo'; entenda

Atualizado: Abr 25

Com 40 óbitos registrados em uma semana, indicador síntese segue acima de 10, mas com tendência de queda

Niterói segue no Sinal Laranja, que requer Atenção Máxima. Foto: Livia Figueiredo


Depois de uma alta abrupta nos principais indicadores de monitoramento, que deixaram Niterói quase um mês no Sinal Laranja (ou Atenção Máxima), a cidade volta a apresentar sinais de estabilidade da pandemia, com tendência de queda. O indicador síntese fechou a última semana em 10,13, muito perto do Alerta Máximo.


Leia mais: Mortes por Covid entre pessoas de 20 a 29 anos cresceram 1.000% no ano


Este é o menor indicador síntese desde 22 de março, quando a cidade voltou à Atenção Máxima depois de nove meses. Mas, apesar da melhora em vários marcadores, a alta do número de óbitos pesa nos cálculos e mantém a cidade no Sinal Laranja.


De acordo com o painel de monitoramento da Prefeitura de Niterói, foram registradas 40 mortes na semana de 15 a 22 de abril. O último balanço data de 16 de abril. São 8 óbitos a cada 100 mil habitantes, indicador que, de forma isolada, está posicionado no Sinal Vermelho (Grave). A tendência na alta de mortes apareceu ainda mais forte nod ias seguintes: na sexta (23) foram mais oito mortes e neste sábado (24) outras nove - 17 em apenas 48 horas.


A incidência de novos casos também segue no pior grau de risco, desde a primeira onda da pandemia, ainda em maio do ano passado. Segundo o painel, de cada 100 mil habitantes, 87,80 ficaram doentes na última semana. Na planilha, esse valor é equivalente ao Sinal Roxo (Altíssimo Risco).


De acordo com o Plano de Transição para o Novo Normal, que se baseia nos cálculos do painel de monitoramento, para a cidade retornar ao Sinal Amarelo, o indicador síntese precisa ser inferior a 10.