Alunos da UFF lançam cartilha informacional sobre Covid-19

Projeto tem como objetivo combater a disseminação de informações falsas sobre a doença e esclarecer dúvidas mais comuns em relação à imunização


Por Livia Figueiredo

Alunos da UFF lançam cartilha sobre Covid / Foto: Divulgação UFF


No meio à disseminação de tantas notícias falsas relacionadas à Covid-19, os alunos do projeto “Mídias, redes e jovens: ações de letramento midiático e informacional”, da UFF, resolveram lançar uma cartilha sobre a Covid-19 nesta sexta-feira (7). O objetivo é informar a população sobre a vacinação, além de combater as notícias falsas sobre a doença que circulam nas redes sociais e aplicativos de mensagens. O documento em PDF está disponível gratuitamente na internet e vai circular nas redes sociais vinculadas à universidade e em grupos locais.


Há explicações sobre as vacinas que vêm sendo utilizadas no Brasil, detalhes sobre como são produzidas, além de informações que desmistificam os conteúdos falsos sobre os efeitos do imunizante e “remédios” não reconhecidos pelas organizações internacionais de saúde.


A iniciativa atinge, prioritariamente, a população da Região Metropolitana Fluminense e traz os links das páginas oficiais das secretarias de saúde e das prefeituras dos municípios, por onde os leitores podem acessar os calendários de vacinação atualizados. A cartilha conta com diversos tópicos voltados para o esclarecimento das dúvidas mais comuns em relação à imunização contra o Coronavírus.


Leia também: Niterói pode ficar sem Coronavac em maio, e continuidade da segunda dose é incerta


O formato foi escolhido para proporcionar uma comunicação direta e de fácil assimilação, com uso de cores, fontes, imagens e textos específicos para esta faixa etária. A estratégia de circulação envolveu o uso das redes e aplicativos de mensagens como meios prioritários e outras formas de divulgação como suporte


Falha de comunicação


A professora e coordenadora do projeto, Carla Baiense, conta que, para além de questões políticas e ideológicas, havia um problema comunicacional no temor dos brasileiros em relação às vacinas contra a Covid-19. Ela conta que foi planejada uma ação informativa para atingir o público-alvo prioritário da vacinação e aquele que vem sendo bombardeado por mensagens falsas nas redes sociais e aplicativos de mensagens.


- Ações como esta mostram que, além da formação profissional, a universidade está engajada na promoção de uma cidadania ativa e informada, e na defesa dos valores democráticos e dos direitos humanos, incluindo o direito à informação. O espaço universitário é capaz de oferecer respostas fundamentais para a superação dos problemas que a sociedade brasileira vem enfrentando. Nesse caso específico, nossos alunos mostraram que podem contribuir de maneira importante para a superação dos efeitos da desinformação sobre o tecido social - destacou.


Leia mais: Moreira César ou Paulo Gustavo? Relembre outras ruas de Niterói que mudaram de nome