Anvisa aprova uso definitivo da vacina de Oxford/Astrazeneca

Imunizante, que no Brasil é produzido pela Fiocruz, agora pode ser comercializado e aplicado no público em geral

Vacina de Oxford já é aplicada no Brasil. Divulgação


Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira, a Anvisa anunciou a liberação do registro de uso definitivo da vacina de Oxford/Astrazeneca. O imunizante, que no Brasil começou a ser produzido pela Fiocruz, já está sendo aplicado em caráter emergencial desde janeiro.


Leia mais: Niterói amplia campanha e vacina idosos de 75 a 77 anos até sexta-feira, 19 de março


Com aprovação definitiva, a vacina de Oxford/Astrazeneca poderá ser aplicada em pessoas fora do grupo prioritário, além de poder ser adquirida por clínicas privadas.


A vacina de Oxford foi aprovada em 17 de janeiro para uso emergencial. Semanas depois, o governo adquiriu 2 milhões de doses do imunizante junto à farmacêutica indiana Serum, que também produz a vacina. A aquisição se deu antes do início da produção nacional do imunizante, que é feito pela Fiocruz.


Até março, a fundação deve entregar as primeiras 3,8 milhões de doses da vacina produzida integralmente no laboratório Bio-Manguinhos. Até o fim do ano, a previsão é de que 222 milhões de doses do imunizante sejam entregues ao Ministério da Saúde para uso no Plano Nacional de Imunização.