Auxiliar de enfermagem vence Covid no Antônio Pedro e ainda se recupera

Acostumado a cuidar dos outros em 26 anos de hospital, Silvio ficou 20 dias internado

Foto: Arquivo pessoal


O auxiliar de enfermagem Silvio Ribeiro dos Santos, de 56 anos, trabalha há 26 anos no Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap). Já passou quase metade da vida lá, mas na pandemia de Covid-19 acabou tendo de ser internado. Ficou 20 dias no Antônio Pedro e foi o primeiro caso grave de Covid-19 do hospital a receber alta, em 29 de abril. Dois meses depois, ainda está de licença e se recupera em casa dos resquícios da doença com acompanhamento de uma fisioterapeuta. Sua alta é festejada até hoje pelos colegas do hospital, que fizeram uma homenagem a ele no site do Huap.


- Depois que saí do hospital, vim para casa muito fraco, precisando de ajuda para andar e comer. Nas primeiras semanas, tive um pós-traumático e nem dormia direito. Eu estava muito nervoso e com medo de tudo. Mas depois, graças a Deus, passou e a recuperação tem sido excelente - conta.


Mesmo curado do vírus, o auxiliar de enfermagem conta que não está saindo de casa, com exceção apenas das duas vezes em que precisou ir ao hospital:


- Já fui duas vezes depois da alta, para atendimento na pneumologia e na psiquiatria. No mais, fico em casa: lendo, vendo TV, estudando e soprando trompete, que é o instrumento que eu gosto - diz.


Foto: Arquivo pessoal


Após sentir os primeiros sintomas, como febre e coriza, Silvio realizou o teste que deu o diagnóstico positivo para Covid-19. Aos 56 anos, ele não era considerado do grupo de risco. Além da idade, também não apresentava comorbidades que pudessem aumentar a chance do agravamento de sua saúde.


Mas, em poucos dias, tornou-se paciente de seus colegas de profissão com a piora no quadro, sentindo também dor nas costas e falta de ar. Silvio teve Sepse, SARS e insuficiência renal. Ficou 20 dias internado, muitos deles entubado na UTI da unidade.


- Foi um período difícil, mas recebi uma ajuda muito grande no hospital enquanto estive internado. A equipe médica da UTI, que conheço há anos, é excelente. Fui bem tratado por gente competente, com muito carinho e respeito. Só tenho a agradecer. Não só aos médicos, mas também enfermeiros, fisioterapeutas, pessoal da limpeza... Todos. Foi uma benção. Hoje, posso dizer que venci, estou em casa novamente com minha família e me sinto bem. Espero voltar logo a trabalhar - finalizou.

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.