Axel Grael promete continuidade, com avanços na cidade

Candidato do Prefeito Rodrigo Neves, pedetista eleito construiu sua trajetória das causas ambientais à política em 30 anos de vida pública


Axel Grael na hora de votar, ao lado da mulher Christ e do Prefeito Rodrigo Neves


O Prefeito eleito, Axel Garel, votou confiante, ao lado da mulher, Christa, no Instituto GayLussac, em São Francisco, o bairro onde viveu boa parte da sua vida. O nome não parou por acaso na urna: Axel participa da vida pública há mais de 30 anos. Engenheiro florestal por formação, ambientalista, foi militante do Partido Verde e, nos últimos oito anos, braço direito do Prefeito Rodrigo Neves, como vice-prefeito e secretário de Planejamento.


Axel Schmidt Grael, 62, nasceu em São Paulo, em função das mudanças constantes de endereço, decorrentes da carreira militar do pai. Mas possui raízes em Niterói desde a chegada do avô, Preben Schmidt, em 1924, vindo da Dinamarca. É filho de Ingrid Schmidt e do coronel Dickson Melges Grael. Irmão dos velejadores Torben e Lars Grael, medalhistas olímpicos. Casado com Christa Vogel Grael, que conheceu no clube onde toda a familia veleja, o Sailing, na Estrada Fróes, em Sçao Francisco.


A ligação da família com o mar - e com a cidade - é bem conhecida em Niterói. E a Baía de Guanabara faz parte da formação do ambientalista. A sua entrada na vida profissional e política começa com a participação em movimentos de defesa da baía e da Mata Atlântica, ainda nos anos 70.


Axel é engenheiro florestal, formado nos anos 80 pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRJ. É funcionário público de carreira, aprovado em Concurso Público para engenheiro florestal da Prefeitura do Rio de Janeiro. Iniciou suas atividades como ambientalista ainda nos anos 70, com a criação do Movimento de Resistência Ecológica (MORE), organização pioneira do movimento no Rio e em Niterói. Liderou iniciativas em defesa da Baía de Guanabara e na campanha que resultou na criação do Parque Estadual da Serra da Tiririca. A existência do ParNit, que ajudou a criar, é um dos seus maiores orgulhos.


Em 1991, foi nomeado presidente do IEF - Instituto Estadual de Florestas, sua primeira experiência na gestão pública. Depois disso, presidiu também a FEEMA – Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente, em duas gestões, e foi Subsecretário de Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro. De 2013 até agora atuou na Prefeitura de Niterói: foi vice-prefeito (2013 a 2016), secretário Executivo e secretário municipal de Planejamento, participando ativamente, ao lado do prefeito Rodrigo Neves, da captação de recursos, elaboração de projetos e implantação de ações nas diferentes áreas de atuação do Município.

Além da atuação na gestão pública, Axel Grael toca, ao lado dos irmãos, o Projeto Grael, baseado em Jurujuba, que educa e prepara crianças para atividades profissionais, ligadas ao mar. O projeto foi criado em 1998 e desde então, mais de 20 mil jovens e crianças da rede pública de ensino tiveram iniciação esportiva por meio da vela, foram preparados para o mercado de trabalho e desenvolveram projetos ambientais na Baía de Guanabara.


Na última entrevista antes da eleição, disse que estava preparado para o desafio de conduzir a cidade num dos momentos mais difíceis da sua história. Durante a campanha ele destacou as realizações da Prefeitura, com a construção do túnel entre Charitas e o Cafubá e a Transoceânica. E toda a experiência acumulada na gestão da cidade. Dizia: "Quero ser Prefeito de uma cidade que avançou muito, mas precisa continuar seguindo em frente. Estou preparado para conduzir Niterói a mais um ciclo de desenvolvimento, inovação, sustentabilidade e justiça social."


Para enfrentar a crise, o Prefeito eleito prepara um plano de emergência, que prevê: ações de combate à pandemia, com testagem, manutenção da capacidade de atendimento hospitalar, atenção aos protolocos de saúde e a organização de campanha de vacinação, quando houver uma vacina. Mas pretende atuar também para atenuar os efeitos da longa retração da economia sobre a vida das pessoas e das empresas. Já anunciou que vai manter os programas de renda mínima e prepara um pacote de obras para ativar a construção civil, gerar emprego e renda. Quer investir em ciência e tecnologia, aproveitando a presença da UFF na cidade e o grande número de profissionais do setor. Além disso, tem especial dedicação ao projeto de recuperação da Orla de Piratininga e das lagoas da cidade.

Em entrevista ao A Seguir: Niterói, durante a campanha, perguntamos: Que marca gostaria de deixar para a cidade, ao fim de seu governo?

- A transparência e racionalização de gastos. Todas as iniciativas dos últimos anos para preservar os cofres públicos. Além de obras estruturantes em diferentes setores, que dão a Niterói condições de sair na frente. Não somos uma ilha e sentiremos os reflexos da crise mundial provocada pela pandemia do novo coronavírus. Mais do que nunca, será necessário um olhar especial para as parcelas mais frágeis da população. A saúde dos niteroienses e a retomada da economia serão prioridade, junto à qualidade dos serviços. Também será importante manter o ritmo de contratações de obras da Prefeitura, através do programa de melhorias habitacionais para geração de renda e promoção da qualidade de vida nas comunidades.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.