Benny Briolly denuncia agressão de Douglas Gomes na Câmara de Niterói: 'Doloroso'

Incidente ocorreu quando Benny pedia a remoção de Gomes da Comissão de Direitos Humanos da Casa; parlamentar nega as acusações

Benny Briolly é vereadora pelo PSOL. Divulgação


A vereadora de Niterói Benny Briolly (PSOL) denunciou, na noite de quinta-feira, ter sofrido agressões verbais do também parlamentar Douglas Gomes (PTC). Caso ocorreu no Plenário da Câmara Municipal. Segundo Benny, outros colagas tiveram que intervir para impedir que Macedo se aproximasse dela.


Leia mais: Fique em casa, porque Niterói perdeu 36 pessoas nos últimos oito dias


"Hoje fui agredida com transfobia, racismo e quase fisicamente pelo vereador fascista Douglas Gomes, que foi segurado pelos meus companheiros de bancada para que não me encostasse. Foi horrível e doloroso!", disse ela. "Chorei, senti medo, senti a dor de ser mulher negra e trans na política, mas não recuei. Companheiras me ajudem porque eu não posso andar só!", pediu.


Na sequência, a vereadora do PSOL publicou um vídeo de sua fala na Câmara que teria motivado o incidente. Nela, Benny defende a remoção de Gomes da vice-presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Na opinião da parlamentar, as opiniões políticas do vereador o desqualificam para o cargo.


Veja também: Confira a lista das atividades consideradas essenciais em Niterói no período emergencial


— Queria fazer uma denúncia de um crime que está sendo cometido, porque liberdade parlamentar não é legitimidade para cometer crime. Aqui nesta Casa o vereador trouxe uma arma de fogo, fez um post afirmando que é contra a vacinação contra Covid-19, tem um chefe de gabinete que atirou um rojão em minha companheira Walkíria Nitcheroy. Além de defender nitidamente em suas redes sociais o coronel Ustra — disse Benny no plenário.


Pelo ângulo das imagens publicadas por Benny, é possível ver uma movimentação intensa de vereadores ao redor dela, mas Douglas Gomes não aparece no mesmo enquadramento.


Vereador se defende


O vereador do PTC usou outra rede social, o Twitter, para se defender da agressão e atacar Benny Briolly. Refereindo-se à parlamentar, insistentemente, no gênero masculino, ele a acusou de mentir e de lutar "para que as igrejas sejam fechadas", sem apresentar nenhuma prova.


"Deixa de ser mentiroso! Até parece que as sessões não são filmadas. Vergonhoso, @BennyBriolly Mentir é uma prática do PSOL?", escreveu. "Respeito quem me respeita, moleque! A turma arco-íris não me quer na câmara! Sinal que o trabalho está sendo bem feito. Sou vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos. Direitos humanos para humanos direitos!", publicou Gomes. "A guerra não é somente ideológica! Esse cidadão está lutando para que as igrejas sejam fechadas! Meu mandato lutará contra esse absurdo!". continuou.