Candidatos a Prefeito abrem o jogo sobre planos para o Caio Martins

Atualizado: 6 de Nov de 2020

Complexo esportivo de Niterói pertence ao Estado do Rio e está abandonado


por Gabriel Gontijo


O campo de futebol do complexo do Caio Martins, em Icaraí


Inaugurado na década de 1940, o Estádio Caio Martins está hoje abandonado e sem previsão para a realização de jogos. A última vez que aconteceu uma partida de futebol na sede de Icaraí foi em dezembro de 2004, quando o Botafogo perdeu para o Corinthians por 2 a 1 em jogo válido pelo Brasileirão daquele ano. Desde então, o local só recebe treinos e alguns jogos da categoria de base. O clube já tentou devolver a administração do estádio ao governo estadual, sem sucesso.


Leia também:


Da mesma forma, o complexo esportivo que leva o mesmo nome, e que teve sua inauguração realizada junto com o campo de futebol, também não tem recebido atividades, mas, ao contrário do estádio, o local contava com a realização de alguns eventos, como shows musicais, e atividades esportivas e recreativas para a população. Com a pandemia, tudo foi suspenso.


A municipalização do espaço é um sonho antigo da Prefeitura de Niterói, que não teve o desejo atendido pela Secretaria Estadual de Esporte e Lazer. No ano passado, o Estado negou o pedido feito de forma oficial pelo Executivo niteroiense. O espaço passou por reformas depois de ficar um ano completamente fechado. Entre as mudanças feitas com a obra, aconteceu a recuperação da arquibancada e da piscina, além da reativação do espaço da Cruz Vermelha, que chegou a ficar fechado por cinco anos.


Em 2021, o complexo completa 80 anos de existência, e o A Seguir, Niterói conversou com os candidatos a prefeito para ouvir deles quais são os planos para o espaço a partir do ano que vem.


Destacando que o local é "patrimônio de Niterói", o candidato Axel Grael (PDT) lembrou que já há um projeto da Prefeitura para recuperar a gestão do espaço. Ele também citou outros exemplos de lugares que pertenciam ao estado, como a Biblioteca Parque e o Restaurante Popular, e que atualmente são de responsabilidade do Executivo niteroiense.


Felipe Peixoto, do PSD, pretende transformar a área em uma grande arena poliesportiva para levar mais serviços à população e permitir que o ginásio volte a sediar importantes eventos esportivos. Além disso, ele quer fazer, a partir da revitalização do Caio Martins, um programa que prevê rever a ampliação e a modernização de toda a estrutura esportiva da cidade.


Para o candidato do PSOL, Flávio Serafini, o complexo esportivo precisa contar uma política mais proativa por parte da Prefeitura de Niterói. Para isso, ele quer tornar o local como "o grande ponto de referência voltada para a prática esportiva". Ainda de acordo com o candidato, o espaço serviria como um local de disputa de competições esportivas entre as escolas do município dentro de uma proposta de ampliação do horário escolar, que incluiria a prática esportiva e que também integraria um projeto de construção e revitalização de outras áreas poliesportivas.


Tuninho Fares, do DC, disse que essa será uma das metas prioritárias do seu mandato. Embora ele não fale sobre a municipalização do lugar, propõe que a Prefeitura faça parcerias com os governos estadual e federal para equipar e transformar o complexo na Universidade do Esporte, onde seria possível cuidar da preparação dos atletas até a realização de torneios e campeonatos.


Renata Esteves (PMB) também não fala sobre o município passar a administrar o Caio Martins, mas defende parcerias com o governo do estado e também com a iniciativa privada de parcerias público-privadas com o intuito de viabilizar o fomento da saúde, esporte e cultura.


E Sérgio Perdigão, do PSTU, salienta que é necessário abordar o assunto com cautela, visto que o ginásio é administrado pelo estado, mas que a responsabilidade do estádio envolve o Botafogo. Por isso, em relação ao complexo esportivo, ele defende que a Prefeitura assuma o espaço e viabilize o lugar para a população, em especial a juventude, atingindo inclusive pessoas com deficiência.


© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.