Cantora lírica de Niterói participa de projeto para ajudar músicos clássicos

Carolina Faria é integrante da 'Lírica Solidária', iniciativa voltada para socorrer cantores atingidos pela pandemia


por Gabriel Gontijo


Carolina Faria, artista nasceu em São Gonçalo e vive em Niterói: solidariedade


Setor que mais sofreu com os impactos econômicos na pandemia, a área da cultura precisou se reinventar para minimizar os problemas decorrentes da paralisação das apresentações. E um setor, em especial, tem sofrido mais com isso: a música clássica. Pensando nisso, a soprano gonçalense Carolina Faria tem ajudado a divulgar o projeto "Lírica Solidária" com o intuito de socorrer cantores líricos prejudicados pela atual situação que atinge todo mundo.


A ideia é uma iniciativa criada na classe dos Cantores Líricos Solistas Profissionais, junto ao Fórum de Ópera, Dança e Música de Concerto. Trata-se de uma união inédita do setor, que busca ajudar, através de formulário de mapeamento e campanhas de arrecadação de diferentes formas possíveis, o artista lírico brasileiro, em nível material, psicológico, burocrático e educacional.


A cantora explica que a iniciativa surgiu inicialmente num grupo de whatsApp. À medida que mais pessoas integraram o grupo é que foi criado o fórum. A proposta do projeto não é apenas de ajudar financeiramente quem passa dificuldade, mas também oferecer suporte psicológico para o cantor que se encontrar sem uma perspectiva profissional devido ao atual momento pandêmico.

- Uma das primeiras coisas que fizemos foi ajudar de forma concreta quem estava passando fome, literalmente. E na época não existia Lei Aldir Blanc, até porque essa medida não engloba todos os artistas. Como dizia o Betinho, 'Quem tem fome, tem pressa'. Então nos juntamos todos e, além de artistas se ajudarem, fãs da música clássica também passaram a contribuir - conta Carolina.


Segundo ela, o grupo conseguiu atender quem o procurou precisando de alguma ajuda emergencial, como alimento, dinheiro para completar o aluguel ou até mesmo uma valor para auxiliar a transportar o piano, por exemplo, pois teve gente que foi despejada.


-Felizmente, conseguimos ajudar profissionais de todos os estados do Brasil. Além da base material, também trabalhamos com o suporte psicológico. Temos o apoio de muitos psiquiatras, psicólogos e psicanalistas que se ofereceram voluntariamente para atender esses artistas que estão sem o seu meio de vida - detalha Carolina.

Nascida em São Gonçalo, atualmente ela mora em Icaraí, na Zona Sul de Niterói. Com o estúdio localizada na Rua Joaquim Távora, ela também dá aulas on-line para alunos de todo o Brasil. Os cursos são individuais e também abordam a interpretação da voz para pessoas de fora da área musical.

Antes da pandemia, ela também recepcionava os alunos que faziam algum tipo de especialização dentro de casa, principalmente os de fora do estado e que tinham apresentações de ópera em alguma casa voltada para esse tipo de espetáculo, como o Theatro Municipal do Rio. Segundo Carolina, era uma forma de "colocar Niterói no mapa do turismo cultural", mas atualmente as recepções estão suspensas por causa da Covid.


Mas essa não é a primeira vez que música clássica e Niterói se relacionam na vida artística da cantora lírica. Criada no bairro do Mutuapira, Carolina Faria foi apresentada a esse tipo de música ainda na adolescência, quando estudava no Liceu Nilo Peçanha, no Centro da cidade. À época, ela começou a cantar no coro da escola convidada pelo próprio maestro. Com apenas 16 anos na ocasião, apaixonou-se de cara e nunca mais parou.


Aos 19 anos, ela iniciou sua vida artística profissional no coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no conjunto vocal Calíope. Aos 24, estreou num primeiro papel em ópera como Romeo em "I Capuleti e i Montecchi" de Vincenzo Bellini, em produção do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Atualmente com 39 anos, além de integrar o projeto "Lírica Solidária", Carolina comanda o podcast "O Chazinho", voltado para assuntos relacionados à arte e à cultura pelo portal Podsim, selo de podcasts produzidos e apresentados por mulheres.