Cidade amplia testagem

Plano é fazer 50 mil exames


Por Carolina Ribeiro



Mais de 150 pessoas já descobriram um diagnóstico positivo para coronavírus em um dos mil testes rápidos realizados pela prefeitura de Niterói só nos últimos dez dias. A cidade prevê testar, pelo menos, 10% da população de 500 mil habitantes com a compra de 50 mil testes. A média é maior do que a dos Estados Unidos - que já ultrapassa 78 mil mortos - e da Coreia do Sul, considerada exemplo no combate ao vírus. Segundo a administração pública, o teste rápido já está disponível em todas as 54 unidades de saúde do município.


Ao anunciar a compra dos testes no fim de março, antes mesmo de a cidade registrar o início da transmissão comunitária - quando não é mais possível identificar o transmissor do vírus -, o prefeito Rodrigo Neves ressaltou que a medida é indicada por especialistas em infectologia como forma de minimizar a propagação da doença.


Em entrevista ao jornal El País no dia 7 deste mês, Rodrigo Neves comparou as ações de Niterói - que testará um a cada 10 habitantes - com as do Ministério da Saúde, que realizará um teste para cada 2.800 brasileiros, as dos Estados Unidos, com um para 150 pessoas, e as da Coreia do Sul, que aplicou um teste para 100 habitantes.


Desde a ampliação no número de pessoas testadas, a cidade vem registrando um crescimento de casos confirmados de Covid-19. Até sexta-feira passada (9), eram 747 casos confirmados, desses 437 em isolamento domiciliar e 72 hospitalizados em unidades públicas e privadas. Niterói chegou a 39 óbitos e 198 recuperados naquele dia.

Em seus pronunciamentos diários na página oficial da prefeitura no Facebook, o prefeito chegou a alertar que, devido a fatores socioeconômicos e territoriais, a cidade poderia registrar um grande número de casos e óbitos se as ações de isolamento impostas pela prefeitura não fossem cumpridas. Muitos moradores da cidade viajaram ao exterior no início do ano e muitos outros moram próximos ou em comunidades, o que pode desencadear aglomerações e rápido contágio da doença.


- A aplicação dos testes rápidos na população permite um melhor acompanhamento da evolução da Covid-19. A intenção é conhecer o comportamento da doença e, dessa forma, estabelecer estratégias mais efetivas para qualificar o planejamento das ações em Niterói – disse ele em live no último dia 3 de maio.


O protocolo de testagem, desenvolvido pela Fundação Municipal de Saúde, pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), prevê que o teste rápido pode ser realizado em pessoas com sintomas de Covid-19 a partir do oitavo dia. Quem estiver com sintomas leves não deve procurar os hospitais de referência, focados nos casos mais graves. A recomendação, segundo o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, é procurar uma das 54 unidades básicas de saúde do município.


- Isso (a testagem em massa) vai nos dar a capacidade de aumentar e detalhar a circulação viral na cidade, programando e orientando as medidas e AS respostas sanitárias para combater a pandemia - disse Rodrigo Oliveira.

Quarentena


A testagem rápida permite ainda diminuir a proliferação do vírus pelas comunidades de Niterói. A prefeitura iniciou no último dia 4 uma ação com voluntários da Defesa Civil para auxiliar as equipes das unidades básicas de saúde na triagem dos moradores de comunidades que estiverem com algum sintoma do Covid-19, mesmo que leve, como coriza e tosse.


Aqueles que receberem o diagnóstico positivo para coronavírus e não puderem se isolar de seus familiares em segurança em suas próprias residências poderão optar por cumprir a quarentena em um espaço gratuito do município. Foi inaugurado no fim de abril o primeiro centro de referência de quarentena do país, com 120 vagas, no Ciep Esther Botelho Orestes, no Cantagalo.


Cerca de 80 profissionais das Secretarias de Saúde e Assistência Social, entre psicólogos, educadores, enfermeiros e médicos, realizam o atendimento dos ocupantes. O local conta com alojamento masculino, feminino e uma enfermaria, além de espaço de lazer, refeitório e uma ambulância do Samu de prontidão. A alimentação também está incluída.


Até o fechamento da edição, a prefeitura de Niterói não havia respondido sobre a ocupação e o funcionamento do centro e nem sobre a incidência de infectados nas comunidades do município.


Unidades de Saúde


Policlínicas:


Dr. Carlos Antônio da Silva - Rua Jansen de Mello s/nº, São Lourenço;

Dr. Sérgio Arouca, Praça Vital Brazil s/nº – Santa Rosa;

Dr. Guilherme Taylor March - Rua Desembargador Lima Castro, 238, Fonseca;

Dr. Francisco da Cruz Nunes - Rua Ver. Armando Ferreira, 30, Largo da Batalha;

Assistente Social Maria Aparecida da Costa - Est. Engenho do Mato s/nº, Itaipu;

Dr. Renato Silva - Av. João Brasil, s/nº- Engenhoca, Rua Jornalista Sardo Filho, 196, Ilha da Conceição;

Av. Carlos Ermelindo Marins s/nº, Jurujuba; Av. Colônia s/nº, Caramujo;

Professor Barros Terra - Rua Alcebíades Pinto, s/nº, Cantagalo; Dr. João da Silva Vizella, Rua Luiz Palmier, 726 – Barreto e Policlínica de Piratininga, Rua Marcolino Gomes Candau, 111.


Unidades Básicas de Saúde (USB):


Centro, Morro do Estado, Santa Bárbara, Engenhoca, Baldeador.


Programa Médico de Família (PMF) e Clínica Comunitária da Família (CCF):


Alarico, Atalaia, Bernardino, Cafubá I, Cafubá II, Cafubá III, Cantagalo, Caramujo, Colônia, Engenho, Grota I, Grota II, Ititioca, Jonathas Botelho, Jurujuba, Leopoldina, Maceió, Maravista, Marítimos, Maruí, Matapaca, Nova Brasília, Palácio, Preventório I, Preventório II, Souza Soares, Viçoso, Vila Ipiranga, Viradouro, Vital Brasil e CCF Badu, Ilha da Conceição, Teixeira de Freitas e Várzea das Moças, Morro do Céu e Cavalão.


Foto: Berg Silva

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.