Cidades criam estímulos para a vacinação: postos itinerantes, exigência de empresas e benefícios

Niterói é uma das cidades com maior adesão à campanha de vacinação: 69 % já tomaram a primeira dose

Prefeituras promovem ações para estimular vacinação. No Campo de São Bento tem música. Foto: Prefeitura

Com o avanço da campanha de vacinação, e previsão de oferta da primeira dose para toda a população maior de 18 anos até o final do mês, os municípios começam a estudar maneiras de aumentar a taxa de adesão à campanha. A média nacional é de 50% vacinados com a primeira dose, e 20% com a imunização completa. No estado do Rio de Janeiro é de 48% e 19%, respectivamente. Números que indicam que em muitos lugares talvez não se atinja o percentual de desejado de imunização de 70% dos moradores.


É a situação de São Gonçalo, a primeira cidade do Estado a oferecer a vacina para todos os moradores acima de 18 anos. Essa meta foi atingida em meados de maio, quando a oferta de vacina na maior parte dos municípios se limitava a moradores na faixa de 40 anos. O problema é que a campanha teve baixa adesão na cidade e hoje os números passam pouco de metade da população: foram vacinadas com a primeira dose 612.672 moradores - 56 % da população estimada de 1,090 milhão. A segunda dose foi oferecida a 199.490 moradores, 18 % do total.


Posto itinerante criado em São Gonçalo para levar a vacina a lugares remotos. Foto: Prefeitura de São Gonçalo


Diante deste cenário - e a ameaça da variante Delta, que se espalha no estado, com enorme poder de contágio -, os municípios preparam medidas para "chegar" aos moradores que ainda não foram vacinados. Em São Gonçalo, a Secretaria de Saúde ampliou o horário de vacinação até a noite, em pelo menos dois postos, para que o trabalhador não precise faltar ao trabalho para se vacinar. Também criou um posto itinerante para levar a vacina a lugares de difícil acesso, e conta com a ajuda de assistentes sociais para identificar os moradores que não receberam a vacina.


No Rio, a prefeitura planeja lançar um pacote de estímulos em setembro para que as pessoas que ainda não foram imunizadas ou não tomaram a segunda dose sejam vacinadas, seguindo o modelo de outras cidades do mundo.


-A gente vai ter um pacote de estímulos para as pessoas se vacinarem. O mês de agosto é para a gente finalizar as pessoas que vão tomar a primeira dose da vacina. E o mês de setembro é um mês de busca pelas pessoas que não se vacinaram ainda. A gente tem pessoas que ainda não tomaram nem a primeira dose e já estavam elegíveis para tomar. No mês de setembro teremos uma série de medidas para incentivar as pessoas a se vacinarem. Uma dessas medidas é permitir a entrada em determinados locais só para as pessoas que tomaram a vacina da Covid - anunciou o Secretário de Saúde Daniel Soranz.


Em Niterói, a situação é melhor. A campanha de vacinação, já aberta para a faixa de 20 anos, levou a primeira dose da vacina para 353.608 pessoas, 69 % da população estimada de 515 mil moradores. E já completou a imunização de 175.870 pessoas com a segunda dose - 37 % do total.


Apesar da alta adesão, a preocupação é com o comparecimento para a segunda dose. A desinformação sobre a vacina, promovida por seguidores do Presidente Jair Bolsonaro e em alguns templos evangélicos, tem afastado moradores dos postos de saúde. O Secretário de Saúde do município, Rodrigo Oliveira, tem alertado para a necessidade de se completar a imunização. As pesquisas mostram que a vacina funciona também contra as novas variantes da doença e que reduz de forma considerável a internação de pessoas que já receberam a imunização.