Cientistas: 'evidências indicam a imperativa necessidade de restrição de contato'

Nota técnica dos Comitês Científicos do Rio e de Niterói defende isolamento urgente diante da 'iminente saturação do sistema hospitalar'



Antes de adotar as medidas de restrição às atividades a partir da próxima sexta-feira (26) até o domingo de Páscoa (4 de abril), os prefeitos do Rio, Eduardo Paes, e de Niterói, Axel Grael, reuniram os comitês Científicos que assessoram a tomada de decisões no enfrentamento à Covid nas duas cidades. A posição dos especialistas foi unânime na recomendação de medidas rigorosas de isolamento social, diante da 'iminente saturação dos sistema hospitalar.'


O grupo é formado por pesquisadores reconhecidos que representam instituições como UFF, UFRJ, UERJ, UniRio e Fiocruz. Contou ainda com a participação de representantes de hospitais e do ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão. O grupo recomenda que a paralisação das atividades não essenciais por dez dias não seja tratada como feriado, mas como medidas de restrição de mobilidade e isolamento social.


A Nota Técnica dos Comitês Científicos do Rio e de Niterói


Os Comitês Científicos dos municípios do Rio de Janeiro e de Niterói, reunidos às 9h de hoje, com a presença dos prefeitos Eduardo Paes e Axel Grael, assim como os Secretários de Saúde, Daniel Soranz e Rodrigo Oliveira, apresentaram um posicionamento consensual, sobre a necessidade urgente da implementação de medidas restritivas da circulação e aglomeração de pessoas, considerando todos os indicadores de crescimento da contaminação e as consequências da pandemia da covid-19, incluindo a iminente saturação da capacidade do atendimento hospitalar da rede pública e privada.


O atual cenário epidemiológico e demais evidências cientificas associadas às experiências internacionais indicam a imperativa necessidade de intensa restrição de contato e aglomeração. Essa medida em hipótese alguma deve ser comunicada enquanto feriado, mas sim como medidas de restrição de mobilidade e isolamento social, onde as atividades produtivas podem e devem ser mantidas a distância, respeitando as diretrizes e orientações municipais.


Tais medidas devem considerar a manutenção adequada da oferta de transporte público, garantindo o acesso dos profissionais de saúde e demais trabalhadores das áreas essenciais.


As medidas restritivas devem considerar qualquer tipo de aglomeração e reunião de pessoas, sendo indicado nesse momento a suspensão das atividades presenciais em escolas, igrejas, templos e afins.


Os comitês entendem que seria desejável que tais medidas fossem coordenadas pelo Governo do Estado, mas na falta ou insuficiência deste, devem ser implementadas pelos municípios.


Os comitês também manifestaram a necessidade da sinalização de um plano de retorno, com revisão das medidas restritivas em 10 dias e uma comunicação segmentada, assertiva, ressaltando que toda a rede de atenção à saúde pública e privada deverá continuar funcionando, incluindo a vacinação, atendendo a todas as medidas sanitárias.


Os comitês entendem ainda que medidas de assistência social e compensação a indivíduos e empresas são importantes como mitigação ao impacto econômico derivado dessas restrições e de engajamento, responsabilidade e solidariedade de toda a sociedade.


COMITÊ TÉCNICO-CIENTÍFICO PARA ENFRENTAMENTO DA COVID-19 DO MUNICÍPIO DE NITERÓI


Membros presentes na reunião:

Antônio Cláudio Nóbrega - Universidade Federal Fluminense - UFF

Roberto Medronho - Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Aluísio Gomes - Universidade Federal Fluminense - UFF

Rômulo Paes de Sousa - Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ


COMITÊ ESPECIAL DE ENFRENTAMENTO DA COVID-19 DA PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO


Membros presentes na reunião:

Alessandra Siqueira - representante do Ministério da Saúde - MS

Marcelo Lambert - representante do Ministério da Saúde – MS

Alberto Chebabo - representante da UFRJ

Daniel Becker- representante da UFRJ

Carlos Alberto Pereira de Oliveira - professor da UERJ

José Agenor Álvares da Silva - representante da UFMG

Fábio Leal - representante do Instituto Nacional do Câncer - INCA

José Cerbino Neto - representante do Instituto D’Or

Luciana Phebo – representante da UNICEF/Rio de Janeiro

Marcelo Costa Velho - representante da UniRio

Rivaldo Venâncio - representante da FIOCRUZ

José Gomes Temporão - Pesquisador da FIOCRUZ (aposentado)

Convidado: Luiz Manoel Werber de Souza Bandeira - Santa Casa do Rio de Janeiro


Representantes Institucionais:


Daniel Soranz - Secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro

Rodrigo Oliveira - Secretário Municipal de Saúde de Niterói

Eduardo Paes - Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro

Alex Grael - Prefeito da Cidade de Niteró