Com escassez de vacinas contra Covid, niteroienses viajam para se imunizar nos EUA

Agência de turismo explica as regras e o custo para quem pretende fazer o chamado turismo de vacinação


Por Amanda Ares

Vacinação de turistas é permitida nos EUA, mas viagem tem custo alto. Foto Unplash


A escassez de vacinas contra a Covid no Brasil e a oferta do imunizante para turistas nos Estados Unidos têm levado brasileiros com condições financeiras a viajar para outros vacinas em busca da imunização. É o que constata a agência de turismo Klas, que viu a procura por pacotes para os EUA crescerem entre as classes A e B. Moradores de Niterói, que nas últimas semanas só têm à disposição a vacina AstraZeneca (Fiocruz/Oxford) também já recorrem ao chamado turismo de vacinação.


Leia mais Butantan realiza última entrega da Coronavac antes de paralisar produção


Mas é preciso ter dinheiro e disposição para cumprir quarentena de 14 dias em outro país que não o Brasil. Um fator facilitador é a dupla cidadania, que permite a entrada irrestrita nos EUA de brasileiros que também possuam passaporte americano, sem a necessidade de um período de quarentena em países vizinhos:

- Estamos tendo solicitações de pessoas interessadas no turismo de vacinação. Embarcamos alguns clientes de Niterói, Rio de Janeiro e de outras capitais do país - diz Lucas Cerqueira, diretor administrativo-financeiro da agência.


Segundo a agência, a média de idade dos viajantes que procuram ir se vacinar fora do Brasil é de 25 a 45 anos. Para entrar no país norte-americano, é necessário o cumprimento de uma quarentena de 14 dias em algum país que não esteja com maiores restrições, como por exemplo o México, o Paraguai e a República Dominicana, onde não é necessário apresentar exame PCR negativo ao chegar.


EUA já vacinaram mais de 45% da população e liberaram uso de máscara


Com abundância de vacinas depois da posse de Joe Biden, os Estados Unidos já vacinaram mais de 45% de sua população com a primeira dose e têm imunizantes de sobra, fazendo campanhas para atrair candidatos à vacinação. Depois de disponibilizar vacinas para todos com mais de 16 anos, os EUA começaram a vacinar também quem tem mais de 12 anos de idade. Na quinta-feira, 13 de maio, o país deixou de exigir o uso de máscara para quem já tomou as doses completas de uma das vacinas ofertadas lá.

A quarentena para entrar nos EUA só não é exigida caso o passageiro tenha cidadania americana ou seja cônjuge de cidadão ou cidadã americanos. Neste caso, apenas é exigido o PCR negativo ao entrar no país.


Advogado leva toda a família para os EUA


Um advogado conhecido de Niterói, de 50 anos e sem comorbidades, não pensou duas vezes: fez as malas com a mulher e dois filhos adolescentes e foi se vacinar nos EUA, fazendo uma escala de duas semanas para a quarentena no México. Pelo calendário de vacinação, ele não seria imunizado tão cedo no Brasil, muito menos sua mulher e os filhos jovens.


- Estou gastando um bom dinheiro, mas não aguento mais a angústia dessa espera pela vacina e o medo da contaminação, especialmente para a minha família. Admito que é mais um exemplo da enorme desigualdade que existe no Brasil, mas eu deixar de ir também não vai mudar isso nem ajudar em nada a melhorar o ritmo da vacinação aqui. O que tenho feito é contribuído o máximo que posso para socorrer famílias que ficaram desempregadas na pandemia - contou ele, que pediu para não ser identificado.


Foi o que fez também um estudante de cinema de 20 anos. Nascido nos Estados Unidos, estava no Brasil de férias e voltou ao país no dia 12 de março:

- Sou americano, então voei direto para lá, já que não tenho restrições. Apresentei um PCR negativo para entrar.

Custo médio de R$ 12 mil por pessoa para a viagem


A Klas explicou, ainda, que alguns de seus clientes optam por ficar em Cancún ou Punta Cana, por exemplo, até que possam dar sequência à viagem para embarque nos EUA. Contudo, após a quarentena nestes países, ainda há a exigência do teste PCR para entrar no país norte-americano, que deve ser realizado 72 horas antes do embarque. O custo disso, é claro, não é barato:

- Por todos os serviços envolvidos e pelo período da viagem, o investimento ultrapassa em média os R$ 12 mil por passageiro - disse o diretor da agência.

Os Estados Unidos estão aplicando vacinas contra a Covid de três fabricantes: Jhonson e Jhonson, Moderna e Pfizer. É importante observar também que, no caso das vacinas Moderna e Pfizer, será necessário um tempo de permanência nos Estados Unidos para que haja tempo hábil entre o intervalo da primeira e segunda doses da vacina aplicada.