Babi Xavier, de volta, com planos para tornar 2021 um ano da música

Artista multifacetada, refaz os planos em meio à pandemia

Por Gabriel Gontijo

Babi faz planos para investir na carreira de cantora. Foto: David Arrais

Apresentadora, atriz, modelo, cantora, youtuber e futura psicóloga. Estas profissões explicam porque a artista niteroiense Babi Xavier simplesmente não para. Ela se apresentaria em dois shows neste fim de semana no Teatro Prudential, na Glória na Zona Sul do Rio, no local onde fica o prédio da extinta TV Manchete. Chamado "Música, Letra e Dança", a apresentação foi adiada para janeiro por medidas de segurança por causa da segunda onda da Covid. Mas isso não a impediu de conversar com o A Seguir: Niterói sobre sua carreira musical. Embora não pareça, Babi já tem mais de 30 anos de experiência em televisão, tendo estreado no programa "Milk Shake" da TV Manchete, onde era a assistente de palco de Angélica. Formada em Letras pela UFF, cursou teatro no Diretório Central dos Estudantes e estreou como atriz em TV na novela Perdidos de Amor, da Bandeirantes, em 1996. Seis anos depois, já consagrada na mídia, fez seu primeiro CD, "Do Jeito Que Eu Quero". Passados 18 anos da estreia na música, ela recorda que o primeiro álbum foi a realização de um sonho e admite que não tinha, à época, a experiência necessária para investir mais no meio. Além disso, os compromissos profissionais com o SBT na ocasião, os contratos com agência de publicidade e as inúmeras viagens de trabalho foram obstáculos para a niteroiense focar na área musical. Atualmente, mesmo com o tempo corrido, Babi reconhece que consegue selecionar melhor quais são suas prioridades, principalmente para ficar mais tempo ao lado da filha Cínthia, de 9 anos de idade. - Hoje, o tempo ainda é curto para fazer todas as coisas, tem a maternidade, mas eu sou mais madura para selecionar e conciliar minhas prioridades. Também, perceptivamente, compreendo que o ato de cantar é também um ato psíquico. A gente tem que se permitir cantar, além do estudo. Se acreditarmos que não conseguimos, não adianta fazer verdadeiras ginásticas vocais para compensar, pois isso não basta. Cantar não é fácil, mas vem da alma e é muito prazeroso, até mesmo sem instrumentos (risos)! - explica Babi

Estreia ao lado de Chico Buarque Logo de cara, uma responsabilidade grande surgiu para a então iniciante na música. Cantar ao lado de Chico Buarque. Babi fez ao lado dele uma versão mais moderna de "O Que Será", que contou com a produção do também músico e integrante do Roupa Nova Ricardo Feghali. Ela revela que quase não foi no dia marcado da gravação por um motivo inusitado: tinha ficado rouca. Mas o problema não surgiu por causa de algum descuido dela, mas pela grande ansiedade que estava em imaginar esse encontro. Babi admite que titubeou na hora por causa da voz, só que resolveu ir adiante. Hoje, a artista percebe que foi uma decisão acertada. - Fiquei tão ansiosa que achei que estava rouca no dia, mas estava era louca, mesmo, se fosse faltar àquela gravação! Claro que se pode gravar vozes em dias diferentes nos estúdios, mas isso é o último recurso. Eu privilegio o encontro, e esse foi DEMAIS! Chico estava escrevendo um de seus livros e, em suas pausas noturnas, assistia e curtia o Programa Livre com a minha apresentação toda noite, no SBT. Agradeço a Deus por essa coincidência! Quando eu consegui seu telefone e falei finalmente com ele, que estava em Paris, foi uma emoção! Eu já tinha a música na cabeça e sabia o que pedir para meu produtor dessa faixa, que foi o excelente Ricardo Feghali e que fez um trabalho primoroso! Esse é um daqueles momentos para mentalizar para sempre, e sorrir! - recorda emocionada. "Pop Star" a incentivou a focar na música, mas pandemia "freou" planos Recordando a participação no programa "Pop Star", da TV Globo, no ano passado, Babi lembra de uma apresentação na qual foi aplaudida de pé por Fafá de Belém, a quem descreve como "rainha". E isso foi um incentivo para ela fazer de 2020 um ano focado na música. Mas a pandemia precisou adiar esses planos. Mesmo assim, ela adianta como será a apresentação assim que as casas de shows, palcos e teatros forem reabertos. - O meu show próprio, a convite do Teatro Claro RJ, teve que ser adiado por duas vezes até que entendi que em 2021, eu poderei, quem sabe, torná-lo realidade. Já está separado o repertório, já tenho meu diretor musical, estava levantando as estruturas, os orçamentos, mas devemos todos analisar o momento. A pandemia, além de não ter acabado, está num momento muito crítico, porque as pessoas estão cansadas dos protocolos, o comércio está tentando se reerguer e ainda há muitos casos e sequelas de saúde. 'O show não pode parar' não se aplica à Covid19 - reconhece. Outro plano adiado foi o show no Teatro Prudential. A apresentação teria todo um repertório de músicas da Marina Lima, e que contaria com a participação das também atrizes cantoras Carol Fazu e Helga Nemetik. Para Babi, a cantora é "puro rock e elegância, o masculino, o feminino, o amor e o sexo em totalidade". Além disso, afirma se identificar muito com Marina, a quem chama de "musa" e "rara". Volta a Niterói, psicologia e maternidade Desde 2014 que Babi voltou a morar em Niterói, residindo em Icaraí. Mesmo durante o período em que esteve em São Paulo ou no Rio, ela nunca escondeu o amor pela cidade e falava abertamente sobre "Nikity" em inúmeras entrevistas. E voltar à terra natal também mostrou uma ressignificação para si própria. A caminho do sexto período de Psicologia, ela faz o curso nas Faculdades Integradas Maria Thereza, no Gragoatá, a vontade de fazer esta graduação se deve ao "amor" aos estudos, dividindo um pouco desse aprendizado em seu canal no YouTube. Ela também afirma que os estudos da área a auxiliam a articulá-los melhor com a própria vida, com a arte, comunicação e tecnologia. Questionada se pretende atuar profissionalmente na área, Babi não descarta a hipótese. Mas salienta que seria feito de uma forma diferente, com o tempo mostrando como fazer. - Fico tentando ver a relação entre as coisas, as origens de certos comportamentos e fenômenos, e isso está me moldando como uma psicóloga, mesmo (risos)! Será muito bom descobrir tudo que poderei fazer com a psicologia de forma a trabalhar qualidade de vida com as pessoas. Com a arte, já é feito isso, mas de forma diferente. Podemos fazer, trabalhar em algo específico por muito tempo, ou a vida inteira, mas podemos nos deixar realizar outras coisas diferentes, distintas, e o processo ser muito rico. Eu acredito nesse caminho - explica Quando retornou a Niterói, ela trouxe junto Cínthia, que tinha apenas dois anos e meio na ocasião. Atualmente, ela divide com a filha algumas das rotinas que tinha em sua época de adolescência, como passear pela Praia de Icaraí ou brincar no Campo de São Bento, coisas que a fazem "reenergizar bastante". E é com essa energia renovada que Babi aguarda um ano de 2021 com "novos trabalhos e novas realizações".