Comitês científicos do Rio e de Niterói recomendam lockdown nos municípios

Posicionamento dos especialistas que assessoram as Prefeituras é de que apenas as atividades essenciais devem ser mantidas

Equipe da Prefeitura do Rio em reunião com Niterói. Divulgação


Em reunião decisiva sobre as medidas que devem ser adotadas para frear o agravamento da pandemia, especialistas que assessoram Rio e Niterói explicitaram, nesta segunda-feira, a necessidade de fechar todas as atividades nas duas cidades. O que ficou decidido entre os prefeitos, no entanto, será anunciado no fim da tarde.


Leia mais: Estado do Rio terá dez dias de feriado, de 26 de março a 4 de abril


O encontro, que reuniu as equipes técnicas de Axel Grael e Eduardo Paes vem no dia seguinte a uma coversa frustrante com o governador em exercício Claudio Castro. No domingo, Castro se mostrou resistente a implementação de medidas sanitárias mais rígidas no âmbito estadual, o que os Prefeitos consideram ser a única saída para reduzir a contaminação.


Em publicação nas redes sociais, Paes adotou um tom irritado ao falar sobre a reunião com Grael.


"Reunião dos comitês científicos do Rio e Niterói nesse momento com a presença do prefeito Axel Grael. Aqui ninguém toma decisão de 'orelhada' ou por achismos".


Na esfera estadual, a única medida sanitária anunciada por Claudio Castro foi de antecipar feriados entre 22 de março e 4 de abril. Os Prefeitos, no entanto, esperavam conseguir negociar ações mais amplas para reduzir a circulação de pessoas dentro do estado. Ao jornal O "Globo", Eduardo Paes revelou frustração por Castro não ter se mostrado aberto às propostas do Rio e de Niterói.


— O governador combinou comigo e com o prefeito de Niterói que buscaríamos um consenso e só então levaríamos uma única proposta para a sociedade. Não foi o que ele fez: chegou com um pacote pronto, praticamente nos impedindo de ter uma visão distinta — afirmou Paes ao jornal.