Concurso de Cafés Especiais do Rio premia produtores fluminenses

Maioria dos cafeicultores premiados trabalha com agricultura familiar


Amanda Ares

Cafeicultores premiados pela produção exibem os certificados no Horto do Fonseca


No começo da tarde desta quinta-feira (25), oito agricultores foram ao Horto do Fonseca receber o certificado pelo prêmio do IV Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro. Seis dos vencedores são agricultores familiares e trabalham há gerações no plantio e na colheita do grão no Rio de Janeiro. O objetivo do concurso é incentivar a produção de grãos especiais no Estado porque, com qualidade superior, eles são selecionados e alcançam melhores preços no mercado.


O evento é realizado pela Associação dos Cafeicultores do Estado do Rio de Janeiro (Ascarj), com apoio da Secretaria de Estado de Agricultura, da Emater-Rio, do Ministério da Agricultura e do Sebrae. Estiveram presentes o governador em exercício, Cláudio Castro, o Prefeito Axel Grael e Secretários de Estado, além do presidente da Ascarj, Moacyr Carvalho Filho.


Estado tem três regiões produtoras de café


Atualmente, mais de dois mil agricultores cultivam o grão em três regiões do Estado do Rio: Noroeste, Serrana e Vale do Café, onde havia grandes propriedades cafeeiras até o começo do século passado, quando começou a declinar, e agora se recupera com produtores locais e o incentivo do turismo. Segundo Moacy Carvalho Filho, o concurso foi criado em 2010 e está na quarta edição, mas a partir deste ano acontecerá anualmente.

- Dos oito premiados, seis são agricultores familiares. Então, esse é nosso objetivo: resgatar desses pequenos produtores a autoestima pela produção de café de qualidade - disse ele.


O café da região Noroeste é responsável por 80% da produção do Estado do Rio. Os cafés que disputaram o título foram depositados para a avaliação do júri na Cooperativa de Café do Norte Fluminense (Coopercanol), em Varre-Sai, cidade que produz 45% do café do Estado. A final do concurso foi realizada no fim de janeiro, com a divulgação dos resultados e leilão virtual dos cafés finalistas. Nesta quinta-feira (25) os vencedores receberam seus certificados.


Duplamente premiado


Um dos premiados, Fidélis José de Oliveira Rodolfi, é agricultor familiar do Noroeste do Estado, assim como 70% dos cafeicultores da região. Ele, a mulher, o irmão e a cunhada venceram nas duas categorias, de produção úmida e seca.


- A gente trabalha com a produção de cafés especiais, investindo em tecnologia e conhecimentos pra alcançar um resultado de excelência, e a família é toda envolvida no trabalho. Eu sou filho e neto de cafeicultor, e tomei gosto pelo café e resolvi investir nisso - contou Fidélis.


© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.