Conheça projetos culturais de Niterói apoiados pelo edital de retomada econômica do setor

Atualizado: Abr 23

Edital municipal teve mais de 800 inscritos e selecionou 50 propostas


Amanda Ares


Quézia Lopes teve pontuação máxima no edital. Imagem de arquivo pessoal


A Prefeitura de Niterói anunciou na última semana o resultado do edital de Retomada Econômica do Setor Cultural, da Secretaria Municipal das Culturas, que contemplou 50 projetos e produtores culturais com CNPJ de Niterói. Cada um irá receber R$ 20 mil para produzir seus trabalhos. Segundo a Secretaria Municipal das Culturas (SMC), 58% das empresas selecionadas são representadas por mulheres, e 46%, por representantes legais, negros e pardos.


Os produtores Quézia Lopes, Marcello Alvim e Camilla Cidade têm uma carreira sólida na cidade, e viram sua agenda esvaziar e a renda cair de um mês para o outro, quando a pandemia começou a fazer estragos no Brasil. Seus projetos foram contemplados pelo edital de Retomada Econômica do Setor Cultural:


Quézia Lopes - Oficina de Produção Audiovisual


Quézia, à esquerda, no set de Corpos Invisíveis


A cineasta e produtora Quézia Lopez inscreveu uma Oficina de Produção Audiovisual para iniciantes. Ela própria teve que aprender fazendo, e ciente da dificuldade que foi entrar no mercado audiovisual, mesmo tendo formação, ela decidiu criar uma forma de dividir sua experiência com quem está começando:


- A produção veio, em um primeiro momento, porque eu queria viabilizar meus próprios projetos, e percebi que eu tinha que entender do tripé: produção, roteiro e direção.


Entendendo que a produção, como uma formação, é um pontapé inicial para jovens que estão entrando no audiovisual, Quézia formulou um curso que forneça ferramentas técnicas e noções de planejamento estratégico para pensar a produção audiovisual:


- Nada muito burocrático, mas ensinar coisas como orçamento, cronograma, planejamento, pra que eles tenham mais controle do que surpresas. Entender de produção é ter autonomia, porque nada acontece sem um bom produtor.


O trabalho é desenvolvido com parte da equipe do Coletivo Corpos Invisíveis, uma rede de mulheres escritoras, cineastas e roteiristas que vêm trabalhando desde 2019, quando produziram o documentário Corpos Invisíveis. As informações sobre inscrição serão divulgadas em breve, e o curso, que será gratuito e online, vai buscar manter uma paridade de gênero e raça na turma.


Marcello Alvim - Curso Comedia D’inclusão


Marcello propôs uma oficina inclusiva de teatro dellarte


O ator e diretor Marcello Alvim inscreveu o Curso Comedia D’inclusão, uma proposta de curso de teatro adaptado para as necessidades de pessoas que muitas vezes são negligenciadas em atividades lúdicas:


- As oficinas, no geral, são feitas para um público sem necessidades especiais. Então, pensamos num projeto todo adaptado para a situação da covid, e também aulas que pudessem ser assistidas por idosos, pessoas neuro divergentes, surdas…


Ele trabalha na Caramelo Produção, com os também atores Daniel de Melo, Guilherme Quadrado e a criadora e diretora do grupo, Carol Leipelt. O primeiro ano da pandemia foi difícil para a companhia, que se sentiu confrontada com a necessidade de se reinventar para sobreviver. A internet virou local de ensaios, reuniões e apresentações permanente:


- Foi a partir daí que a Carol teve a ideia de fazer animação de festa online, e a gente começou a levantar projeto, estudar, tudo pelo zoom. Eu não diria que foi um ano de mais volume de trabalho, mas foi um ano que deu mais trabalho.


A principal fonte de renda foram os editais de incentivo à cultura:


- No final do ano, percebemos um aumento de editais para cultura, e começamos a cair dentro, adequando os projeto que a gente já tinha. Fizemos um curta para o edital Aldir Blanc, o “A balada da nobre senhora”; também uma peça, “A coroa está a venda”, de comédia dellarte.


Para o edital de retomada de Niterói, a produtora se juntou a um grupo de psicólogas para pensar uma oficina que atendesse, prioritariamente, a um público com necessidades especiais, como limitações de locomoção, autismo, surdez.


- Uma psicóloga nos ajudou a pensar em atividades e exercícios comuns, que busquem movimentos simples, sem foco no perfeccionismo técnico. E com o público, autista, ou neurodivergente, precisamos adaptar para não ter barulho, por exemplo.


Camilla Cidade - Tópicos em Teoria de Produção Cultural para Produtores Práticos


Camilla Cidade. Arquivo pessoal


A DJ e produtora Camilla Cidade, também pretende compartilhar seu conhecimento com produtores interessados em aprofundar seus conhecimentos na área:


- A ideia dele é passar alguns tópicos mais teóricos, como leis, estrutura de projeto, contexto cultural, termos técnicos de produção...


Cidade é formada em Produção Cultural (UFF) e atualmente cursa Cinema. Aproveitou 2020 para se especializar, e recentemente concluiu uma pós graduação em Comunicação e Jornalismo Digital (Ucam). Mas não foi fácil. Mãe de gêmeos, e com a renda comprometida, ela teve que se desdobrar para manter a casa:


- Este momento explícita para a sobrecarga das mulheres mães em home office, estágio faculdade, trabalhos domésticos e filhos.


Ela foi contemplada pelo Prêmio Érika Ferreira, com o curta documentário "São Jorge de Niterói", e acaba de publicar dois livros, "Maternidades Plurais" e "Mulheres Cientistas e os desafios pandêmicos", sobre maternidade, vida profissional e acadêmica na Pandemia.


Novos editais a caminho


Ao todo, foram mais de 800 projetos inscritos no edital de Retomada Econômica do Setor Cultural, o que demonstra a necessidade dos profissionais do setor de mais incentivos para trabalhar após um ano praticamente parados. O secretário das Culturas de Niterói, Leonardo Giordano, informou que novos editais estão previstos para este ano:


- A retomada econômica é uma medida emergencial para garantir minimamente a sustentabilidade de quem vive da cultura em Niterói. A Prefeitura de Niterói investiu R$ 1 milhão e os 50 projetos contemplados irão contratar, aproximadamente, 360 trabalhadores de cultura, fazendo a cadeia produtiva da cultura circular.