CoronaVac tem eficácia geral de 50,38%, anuncia o Butantan

Vacina produzida em parceria com a chinesa Sinovac e testada em Niterói supera o índice recomendado pela OMS



Produzida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech em parceria com o brasileiro Instituto Butantan, a vacina CoronaVac tem eficácia geral de 50,38%. O anúncio foi feito nesta terça-feira (12), em São Paulo, por autoridades do governo do estado e diretores do Butantan. A CoronaVac foi testada por voluntários da área de saúde em Niterói, na fase 3, a última antes do pedido de liberação para uso.


Leia também: Niterói não poderá comprar vacina do Butantan


Apesar de a vacina superar o índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a eficácia geral ficou abaixo dos 78% de eficácia anunciados pelo próprio Butantan, na semana passada, para casos moderados de Covid-19. Segundo o governo de São Paulo, embora a vacina não tenha atingido índice alto de eficácia para casos leves e moderados, ela impediu casos graves de Covid-19.


A taxa global inclui casos muito leves da doença. Isso significa que, mesmo que a pessoa tenha sido infectada, pode ter ficado assintomática ou não ter tido necessitado de hospitalização. Para casos moderados e graves da Covid-19, a eficácia do CoronaVac foi de 100%. Segundo o Butantan, nenhum dos participantes do grupo de voluntários que tomou a vacina na fase 3 dos testes precisou de hospitalização.


Leia mais: O que diz médico Niterói que foi voluntário no teste da CoronaVac


Dimas Covas, diretor do Butantan, disse que a CoronaVac está pronta para uso. O instituto já pediu à Anvisa a autorização para uso emergencial da vacina no Brasil, mas a agência cobrou mais dados e ainda não deu a resposta final.


— A vacina é segura e eficaz. Precisamos vacinar a população com urgência — afirmou o diretor do Butantan.