Covid-19 no Disque-Denúncia em Niterói

Serviço reporta aglomerações, álcool em gel pirata e preços abusivos


Por Carolina Ribeiro


A pandemia de Covid-19 alterou até a rotina do Disque Denúncia, serviço criado para a população ajudar na investigação de crimes. Em Niterói, desde o começo da quarentena, o Disque Denúncia já registrou 615 reclamações sobre irregularidades em relação à pandemia, ultrapassando, em maio, em mais de dez vezes o total de queixas sobre tráfico de drogas, que era o maior motivo de procura do serviço.

De 16 de março a 14 de maio, em sua maioria, as denúncias alertavam sobre aglomeração indevida, produção clandestina de álcool em gel e preços abusivos de produtos usados para evitar a proliferação do vírus. A falta de equipamentos para os trabalhadores nos hospitais também foi denunciada.


O primeiro registro sobre coronavírus foi em 16 de março, uma semana antes do isolamento social ser decretado na cidade. Enquanto em março, do dia 16 ao dia 31, foram 192 denúncias relacionadas ao vírus, 67 foram sobre tráfico de drogas. Em abril, a discrepância foi ainda maior. Do dia 1º ao dia 30, foram 251 reclamações sobre aglomeração e abuso de preços de produtos. Tráfico de drogas, em segundo lugar, registrou 80 denúncias. Em maio, até o dia 14, foram 172 relatos em relação à epidemia e apenas 16 sobre drogas.

Coordenador do serviço, Zeca Borges diz acreditar que as denúncias feitas de forma anônima ao canal estão surtindo efeito, uma vez que há fiscalização constante nas ruas.

- Percebemos que a prefeitura está atenta ao que vem acontecendo, pois a Guarda Municipal está ativa nas ruas. Os maiores problemas são referentes a aglomerações, abuso de preços e condições de trabalho. Para cada caso, há uma descrição completa do fato, que é enviada aos órgãos competentes - diz ele. E acrescenta: - É preciso fornecer dados básicos, como o local onde ocorre a irregularidade, quem as pratica, quando e como ocorre.

Das 615 reclamações encaminhadas para órgãos competentes, o portal recebeu retorno sobre 93 casos. A maioria dos relatos consta como ‘em andamento’, quando as informações ainda estão sendo apuradas antes de se realizar uma operação. Apenas oito relatos aparecem com retorno positivo.


Em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que mantém policiamento ostensivo nas ruas, praias e outras áreas de lazer do estado, visando ao isolamento social e sanitário para conter o avanço do novo coronavírus. A prioridade é a conscientização e o diálogo, mas, diante do descumprimento, a equipe faz a abordagem, podendo até encaminhar as pessoas para a delegacia.


Por meio de um convênio com a prefeitura, denúncias em Niterói têm um canal exclusivo de WhatsApp (99973-1177), além do tradicional 2253-1177 e do App Disque Denúncia RJ.


A prefeitura de Niterói também tem recebido denúncias através do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), na Central Telefônica 153. De 20 de março a 7 de maio, foram 4.369 ocorrências relacionadas à Covid-19. A prefeitura, no entanto, não detalhou os motivos das reclamações. A administração pública ressaltou que também recebeu ocorrências por meio do Disque Denúncia e que, nos dois casos, as queixas são analisadas e encaminhadas para a Secretaria ou órgão público relacionado para que seja feita fiscalização.

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.