Criado por velejador de Niterói, 'Airbnb dos mares' vive boom na pandemia

Atualizado: Set 14

Plataforma de aluguéis de barcos "Navegue Temporada" foi criada por Norman MacPherson


Por Livia Figueiredo

Foto: Divulgação Navegue Temporada


Em 2008, o Airbnb popularizou um novo conceito de locação por temporada. A plataforma, que intermedia o aluguel de apartamentos e casas para curta temporada, acabou se tornando um dos setores que mais cresceu no mercado, especialmente durante a pandemia. Foi esse conceito de locação por curto prazo , como forma de potencializar o turismo náutico, que inspirou o velejador de longa experiência de Niterói Norman MacPherson a fundar o "Navegue Temporada", uma espécie de "Airbnb do mar".


A plataforma atua no setor de Turismo Náutico há 8 anos como um marketplace social, conectando proprietários de barcos e usuários. O objetivo é difundir a cultura e o costume de alugar barcos, seja o usuário um grande navegador ou uma pessoa que nunca tenha tido essa experiência. Além de facilitar a vida de quem procura por este serviço, a plataforma tem como intuito ajudar proprietários a ganhar dinheiro com seus barcos, enquanto eles estão parados, o que acontece cerca de 80% no ano.


Leia mais: Niterói tem índice de vacinação completa maior que Estados Unidos e Europa


Como tudo começou


Não se engane, a ideia não é de hoje. Tudo começou antes até mesmo do airbnb ser lançado no mercado. O ano era 2011 e inspirado no "alugue temporada" de imóveis, Norman teve o insight de pesquisar os principais destinos náuticos do mundo. Porém, para sua surpresa, o velejador não encontrou nada que se enquadrasse nessa proposta. Foi aí que ele percebeu que não existia nada na modalidade peer to peer, de empréstimo , em que empresas e pessoas físicas podem investir e ter oferta de crédito restrita. Em contrapartida, o investidor que concede crédito também ganha, em função dos rendimentos próprios da categoria.


- Existiam sites de empresas de aluguel de barco, mas cada um anunciava os barcos que eles operavam. Na modalidade peer to peer, não existia. Pela falta de conhecimento técnico, de verba para investir e por medo de "roubarem" minha ideia, o site teve que levar dois anos para ir ao ar.


O velejador e empresário Norman MacPherson / Foto: Arquivo Pessoal


Enquanto ainda estruturava a ideia, Norman convidou, em 2012, o amigo e velejador Thomas Lowbeer para ser seu sócio. Na época, Thomas trabalhava em um site de vendas de flores. Ele ficou na empresa até o início de 2016. Norman é velejador desde criança, com larga experiência em cruzeiros, regatas e charter no Brasil e no exterior. Acabou, com o tempo, se tornando também Administrador de Empresas. Thomas Lowbeer também é um velejador profissional e Engenheiro de Produção. A combinação da mente voltada para articulação de negócios com outra, voltada para a logística, não tinha como dar errado.


No início, os negócios eram fechados fora do site, de forma mais informal, entre amigos, familiares e conhecidos. Mas em 2016, com a grande adesão de pessoas, os sócios viram o empreendimento deslanchar. Foi quando começaram a fazer a intermediação do aluguel. Desde aquele ano, em que os aluguéis passaram a ser registrados, foram 1600 passeios. Apenas em 2020, foram 432 passeios. Com a pandemia, Norman conta que a procura foi ainda maior. Os destinos mais procurados atualmente na plataforma são Rio de Janeiro e Angra dos Reis.

Foto: Divulgação Navegue Temporada


- Além da questão das pessoas procurarem lazer ao ar livre, na impossibilidade de viajar, elas passaram a curtir passear ou tirar férias em suas cidades ou aquelas mais próximas. Queremos mostrar às pessoas que existe esse tipo de serviço e que agora é fácil encontrar barco para alugar. O proprietário pode remunerar seu investimento feito no barco, enquanto não o usa. Hoje em dia é possível até mesmo ter rendimento maior que investimentos feitos no banco.


Boom na pandemia


O turismo náutico cresceu de forma expressiva nos tempos de pandemia. Em busca de alternativas seguras, isoladas e não muito distantes de casa, viajantes encontraram nas embarcações uma opção viável e longe de aglomerações. A ideia de sair, com poucas chances de exposição ao vírus, para refrigerar a cabeça e sem precisar ser dono ou conhecer alguém que tenha uma lancha, barco ou similar, estimulou as pessoas a embarcarem nessa nova tendência.


Um dos grandes atrativos de alugar um barco é a liberdade de montar seu próprio roteiro. É justamente essa autonomia que tem chamado a atenção de pessoas que gostam de personalizar o percurso de suas viagens como acharem mais adequado. Sem contar que, além da maior independência, o aluguel de barcos privativos é também a opção mais segura do turismo náutico, já que restringe o contato com pessoas de fora do círculo de convivência. Outro atrativo é o fato de não precisar ter uma habilitação náutica para alugar uma embarcação. Na maioria dos barcos de aluguel, o serviço de charter, ou seja, a presença de um marinheiro a bordo, está incluído no pacote ou, em alguns casos, é necessário pagar um valor extra.


Foto: Divulgação Navegue Temporada


Acesso democrático


Com as embarcações paradas nas marinas e portos na maior parte do ano e os altos custos de manutenção, proprietários enxergaram nos aplicativos a possibilidade de amenizar custos, cortando despesas. Com isso, viajantes começaram a ter um acesso mais democrático aos mares. Entre opções de passeios de algumas horas (normalmente de 2 a 8 horas), pernoite e até hospedagens por semana em alto-mar, as embarcações deixaram de ser "artigos de luxo" e passaram a ser opções para as pessoas que não querem e não podem desembolsar uma grande quantia de dinheiro.


É tempo de relaxar e aproveitar as possibilidades de lazer a bordo: fazer mergulhos com cilindro, conhecer ilhas desertas, os recantos do mundo e as sutilezas da natureza, como os animais marinhos e os lugares onde nem todo turista convencional consegue alcançar.


Leia também: Apagão de AstraZeneca: sem o imunizante, Niterói aplica Pfizer como 2ª dose


Para todos os gostos Os valores das embarcações são variados, assim como o preço do passeio. No total, a "Navague Temporada" dispõe de 700 barcos, nos mais diversos estilos, marcas e tamanhos. Norman ressalta que há opções mais em conta, caso a pessoa divida o passeio com a família e amigos, por exemplo. Por conta da alta procura, ele diz que já está trabalhando em uma nova plataforma, mais moderna, mais robusta e com algumas novidades. A previsão é que seja lançada no início do ano que vem.