Taxa de ocupação de leitos de Covid melhora em Niterói

Atualizado: Fev 4

Relatório registra queda da taxa de ocupação hospitalar, mas cidade teve 21 mortes em sete dias


Marcos Antônio recebe alta, o milésimo paciente recuperado no Hospital Oceânico. Foto: Divulgação/Prefeitura


A falta de transparência e de explicação da Prefeitura sobre o monitoramento dos casos e mortes por Covid tem dificultado a análise da situação. O relatório dos indicadores de monitoramento da Covid em Niterói revela forte queda de internações, nas redes públicas e privada, tanto em leitos quanto em UTIs. Mas o número de mortes continua muito alto, e os dados da Prefeitura são discrepantes dos registrados pelo Governo do Estado. Procurada, a Prefeitura nunca explica os motivos.


Na rede pública, a média de internações na semana encerrada dia 28 de janeiro era de 16 pessoas em leitos - apenas 20% das vagas reservadas para pacientes de Covid - e de 64 em UTIs (54%), de acordo com os dados da Prefeitura. A melhor taxa desde o repique da doença, em novembro.


Os números aparecem no relatório de monitoramento datado de 28 de janeiro e divulgado com atraso nesta quarta-feira (3) pela Prefeitura - o mapeamento usado para a classificação de risco da cidade. No momento, Niterói está no estágio de Alerta Amarelo-2, com o indicador-síntese em 6,13. Se a marca ficar abaixo de 5, a cidade evolui para o estágio de menos risco Amarelo 1; caso o número chegue a 10, a cidade entra num estágio de maior controle.


Número de mortes precis ser melhor explicado


Os dados hospitalares indicam uma tendência de melhora. Mas são discrepantes com outros indicadores divulgados pela própria Prefeitura e pela Secretaria Estadual de Saúde. Nos boletins epidemiológicos diários, a cidade registrou 113 mortes em janeiro deste ano. De acordo com a contagem do Estado foram 164. Na planilha de monitoramento aparece um número menor, 83 óbitos. A Prefeitura não explica a diferença dos dados.


A melhor notícia do relatório aparece na ocupação dos hospitais. Tanto na rede pública, com uma média de 80 internados por em leitos ou UTIs, quanto na rede privada, com média/dia de 254 na semana.

Paciente recebe alta e coloca mais uma fita na grade do Hospital Oceânico


Hospitais Particulares reportam menor ocupação desde 13 de outubro


A redução no número de internações aparece também no boletim divulgado nesta quarta-feira (3) pelo Sindicato dos Hospitais Particulares de Niterói, SINDHLESTE.

A taxa de ocupação de leitos reservados para pacientes com Covid foi de 22%, com 73 quartos ocupados. Nas UTIs, são 78 leitos ocupados, 28% das vagas reservados para Covid.


A última vez que a cidade teve um taxa de ocupação hospitalar tão baixa foi no dia 13 de outubro, com 22% dos leitos ocupados e 23% das UTIs. A partir daí, o contágio pelo Coronavírus voltou a crescer na cidade e em todo o país.


Redução de internados com Covid também em São Gonçalo


A doença também parece diminuir em São Gonçalo. Apenas 18 quartos para Covid estão ocupados, 20% do total. Apenas 25 UTIs estão ocupadas, 45% da reserva.





© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.