Decreto libera ônibus e barcas entre Niterói e Rio na pandemia

Transporte público vai ter de operar com novas regras e cuidados para a prevenção da doença


Ônibus cheio em Niterói mesmo durante a pandemia. Foto: Gustavo Stephan


O isolamento social começa de fato a afrouxar na Região Metropolitana do Rio, apesar das taxas crescentes de contaminação e mortes por Covid-19. Decreto do governo do estado publicado nesta sexta-feira permite o retorno gradual do transporte intermunicipal de passageiros, inclusive entre Niterói e o Rio de Janeiro, a partir deste sábado (6/6). O decreto também suspende o controle de passageiros na barca. O Sindicato das Empresas de Ônibus (Setrerj) informou que as companhias estão prontas para o retorno e vão adotar medidas de prevenção.


Segundo o governo estadual, o retorno das linhas intermunicipais está de acordo com a flexibilização progressiva do isolamento social adotada pelos municípios, o que aumenta as demandas sociais e econômicas. Mas a liberação deverá seguir regras para diminuir o risco de transmissão do coronavírus. Estão programadas fiscalizações do Detro e das forças policiais.


Nos ônibus, por exemplo, as linhas que fazem a ligação entre os municípios da Região Metropolitana deverão rodar com ocupação limitada ao número de assentos do veículo, sem passageiros em pé. O mesmo vale para o transporte entre os municípios do interior e transporte complementar, em qualquer região. O transporte entre a Região Metropolitana e o interior também está liberado, desde que as linhas operem com até 50% dos assentos ocupados nos veículos rodoviários e, nos urbanos, apenas com passageiros sentados.


A partir deste sábado, também fica suspenso o controle de acesso de passageiros em todas as estações de barcas, metrô e trem. No caso das barcas, a ocupação das viagens será limitada aos número de assentos. A linha Arariboia (Niterói - Praça XV) terá intervalos de, no mínimo, 30 minutos no horário de pico (das 5h30 às 9h e das 16h às 18h) dos dias úteis, e de uma hora nos demais horários dos dias úteis e aos sábados, domingos e feriados. As estações Charitas e Cocotá permanecem fechadas.


O uso da máscara continua obrigatório nos transportes coletivo e individual. Segundo o estado, as empresas devem disponibilizar álcool em gel 70% ou produto higienizador nas estações de trem, metrô e barcas, além dos ônibus. Procedimentos de limpeza e desinfecção específicos deverão ser feitos em veículos, embarcações, composições e estações.


Em nota, o Setrerj informou que as empresas de ônibus estão prontas para retomar a circulação das linhas intermunicipais e que o mesmo esquema de higienização das linhas municipais será realizado nos veículos intermunicipais. Inclui limpeza total dos carros, no mínimo, a cada turno, álcool em gel 70% e máscaras para motoristas e despachantes. E janelas abertas sempre que possível.


- Mesmo no caso em que os veículos têm as janelas lacradas, um estudo feito pela Marcopolo, empresa fabricante de carrocerias de ônibus, em parceria com a Universidade de Caxias do Sul, mostra que a renovação do ar nos ônibus, de até 63%, é maior do que a exigida em locais como supermercados e agências bancárias, devido ao modelo de carroceria que a maioria possui. Com relação à frota, não temos ainda como estimar a demanda, já que o "novo normal" é que vai determinar o comportamento das linhas e o planejamento da oferta para que todos os parâmetros de segurança possam ser cumpridos. Teremos mais clareza a partir do final da próxima semana - informou Márcio Barbosa, presidente do Setrerj.


A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) também divulgou nota ressaltando que os protocolos de saúde estão sendo seguidos à risca, para garantir maior segurança dos passageiros e funcionários e que as condições de saúde de motoristas, equipes responsáveis pela manutenção dos ônibus e funcionários da área administrativa são acompanhadas diariamente pelas empresas.

- É importante ressaltar ainda que a retomada das operações após quase três meses de restrições representa um enorme esforço operacional das empresas que permitirá a manutenção dos contratos de trabalho de mais de 75 mil rodoviários em todo o Estado. Desde o início da pandemia, as empresas têm convivido com um cenário totalmente desfavorável, com a redução drástica no número de passageiros transportados, a limitação da lotação dos ônibus e a suspensão de linhas intermunicipais. Operações deficitárias que comprometeram a capacidade financeira das empresas - diz o texto, lembrando que podem acontecer problemas pontuais para o atendimento pleno das necessidades da população no período de adaptação.


Testes para funcionários


Cerca de 550 testes gratuitos de Covid-19, ou 275 por dia, serão realizados em rodoviários nas próximas terça e quarta-feira (9 e 10/6) na sala do Sindicato das Empresas de Ônibus (Setrerj), no Terminal João Goulart, em Niterói. Pelo menos 14 rodoviários morreram em consequência do coronavírus e 37 casos tiveram resultado positivo até esta sexta-feira (5/6).


Para o Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac), esta iniciativa vai auxiliar a compreensão da disseminação da doença na categoria e a prevenção dos profissionais, expostos em seu cotidiano ao contágio da doença.

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.