Distribuição de Coronavac será retomada em junho, diz Butantan

Atualizado: Mai 27

Insumo para a produção de 5 milhões de doses de vacina chegou ao Brasil; quantidade, no entanto, foi inferior ao esperado

Coronavac é produzida pelo Butantan. Divulgação/Prefeitura de Niterói


O Instituto Butantan pretende retomar as entregas de Coronavac ao Ministério da Saúde em junho. Um lote com 3 mil doses do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), suficientes para voltar a produzir a vacina chegaram no Brasil nesta terça-feira (25), mas a produção leva ao menos 20 dias para ser disponibilizada ao Plano Nacional de Imunização (PNI).


Com os 3 mil litros de IFA, o Butantan pode produzir 5 milhões de doses de Coronavac. O instituto, no entanto, esperava receber 10 mil litros, que não foram liberados pela China em sua totalidade.


Até maio, o Butantan entregou mais de 47 milhões de doses ao PNI, cumprindo o primeiro contrato com o Ministério da Saúde. E agora trabalha para completar as 54 milhões de doses referentes ao segundo contrato, totalizando 100 milhões de vacinas.


A produção da Coronavac foi interrompida em 14 de maio por falta de IFA. Na época, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e o Governador de São Paulo, João Doria, atribuíram ao Governo Federal à diplomacia brasileira a responsabilidade pelo atraso na entrega do insumo.