Doação de Niterói para hospital contra Covid em São Gonçalo é revogada

Projetos de ajuda à economia de Niterói devem ser prorrogados


Por Carolina Ribeiro


Obra do hospital de campanha no Colubandê pouco avançou. Foto: Prefeitura de SG


A doação de R$ 45 milhões por Niterói para o Governo do Estado construir o hospital de campanha de São Gonçalo foi revogada pela Câmara Municipal de Niterói. A justificativa é que o governo Witzel não encaminhou o plano de construção do hospital, além das suspeitas de irregularidades em contratos com Organizações Sociais. Em contrapartida, o prefeito Rodrigo Neves anunciou que vai emprestar 20 respiradores para o tratamento de Covid-19 ao município de São Gonçalo. Ainda na Câmara, foram aprovadas, em primeira discussão, novas medidas de reforço para a economia de Niterói.


- Nós assinamos um protocolo de intenções com o Estado quando vislumbramos o agravamento da pandemia em São Gonçalo, município que ainda vive uma situação muito específica. Conversei com o prefeito José Luiz Nanci e vamos continuar apoiando a cidade com medidas de sanitização e 20 respirados - afirmou Rodrigo Neves.


Devido às suspeitas de irregularidades nos contratos para a construção de hospitais de campanha entre o governo do estado e o Instituto de Atenção Básica e Atenção à Saúde (Iabas), o que inclui a construção do hospital de São Gonçalo, a Câmara de Niterói aprovou a revogação da lei que permitia a doação de R$ 45 milhões para a obra. A verba seria doada, com mais R$ 45 milhões da prefeitura de Maricá, ao Governo do Estado.


Líder do governo na Câmara, o vereador Carlos Macedo (PRP) afirmou que nenhum valor foi repassado ao Estado por Niterói, já que o governo não encaminhou o plano de construção do hospital ao município. O vereador Bruno Lessa (DEM) ressaltou que o projeto não continha as informações essenciais.


- Não sabíamos quantos leitos teriam, quais os tipos de leitos, se o dinheiro serviria só para construção ou também para operação. A votação de hoje [quarta] foi um reconhecimento de que a doação foi um equívoco. Não dava para continuar com a doação diante de uma série de denúncias, de irregularidades, em que a Organização Social não consegue entregar o que foi contratado e os hospitais de campanha não estão prontos - afirmou.


Mais reforço


Outras medidas de apoio à economia foram votadas. O Empresa Cidadã, que tem o objetivo de garantir a manutenção de empregos, paga parte do salário de funcionários de empresas do município. Apesar da mensagem executiva ter sido aprovada em primeira discussão, os vereadores aguardam que seja encaminhado pela prefeitura o impacto econômico da medida para o orçamento do município. A segunda discussão está agendada para esta quinta-feira.


Já o programa Niterói Supera prevê empréstimos a juro zero em instituições financeiras credenciadas pelo município, com até seis meses de carência e pagamento em até 36 vezes. A primeira instituição credenciada, o Banco do Brasil, não ofereceu crédito aos empresários como era esperado. Agora, a mensagem executiva do prefeito visa a flexibilizar as instituições que podem ofertar crédito, como a agência de fomento AgeRio, criando o Niterói Supera Mais.


Os vereadores presentes na sessão criticaram a dificuldade do Banco do Brasil em oferecer crédito aos empresários. Além disso, informaram que vão enviar emendas ao projeto para que a carência seja fixa a todos os empresários e não uma decisão a cargo das instituições financeiras. Também foi aprovado a extensão do auxílio financeiro de R$ 500 reais até dezembro para os 7 mil microempreendedores individuais que estão com inscrições ativas no cadastro da Secretaria Municipal de Fazenda de Niterói.


Durante pronunciamento nas redes sociais na noite de quarta, o prefeito Rodrigo Neves lembrou que a situação econômica da cidade é impactada diretamente pela pandemia, uma vez que, por conta do medo de transmissão do vírus, clientes deixam de sair às ruas e visitar os comércios.


- É importante que a gente consiga controlar a pandemia para que, no estágio amarelo, possamos reabrir outras atividades econômicas que nos permitam, de uma maneira gradual e responsável, seguindo protocolos sanitários, retomar as atividades


Neves ressaltou que o Niterói Supera Mais vai ter uma linha de crédito mais facilitada para pequenas empresas com faturamento até R$ 1 milhão de reais. Mais detalhes serão divulgados na sexta-feira.


- O nosso objetivo, até o dia 30 de junho, é viabilizar pelo menos metade dos R$ 150 milhões de crédito que reservamos de apoio às pequenas e médias empresas. é uma meta ambiciosa, mas tenho certeza que em função da parceria com bancos e demais entidades, vamos conseguir viabilizar o capital de giro para centenas de empresas - ressaltou.


Niterói chegou a 3.317 casos confirmados de Covid-19 e 127 óbitos. Além das 1.755 pessoas recuperadas, são 1.318 doentes sendo tratados em isolamento social e 117 hospitalizados em leitos públicos e privados.