Donos de restaurantes e bares de Niterói protestam contra restrições impostas pela pandemia

Com o novo decreto, publicado no Diário Oficial, restaurantes e bares só estão autorizados a funcionar até às 18h


Por Livia Figueiredo e Amanda Ares

Restaurante na orla de São Francisco. Foto: Reprodução


As medidas anunciadas pela Prefeitura de Niterói para conter as contaminações e evitar mortes pela Covid-19 surpreenderam comerciantes e empresários. Entre as novas restrições, bares e restaurantes ficam proibidos de funcionar a partir das 18h, com toque de recolher nas ruas entre 23h e 5h. O decreto publicado na manhã desta sexta-feira (5), no Diário Oficial, tem validade até 21 de março, dependendo do controle da situação do coronavírus durante esse período de 15 dias. O serviço de delivey segue permitido. Já a música ao vivo nos bares e restaurantes está proibida.


Leia também: Conheça todas as medidas de restrição impostas por Niterói


Daniele Ponciano, gerente do Botequim Informal, em São Francisco, disse que o espaço tem trabalhado com capacidade reduzida de funcionários e clientes, mas que para manter as contas no azul teve que demitir pessoal ao longo do ano passado. Durante a pandemia, o bar ficou três meses fechado para refeições no local, realizando apenas serviços de entregas. Na reabertura, voltou a funcionar com horário reduzido, e em novembro estendeu para até 23h30m em todos os dias da semana.


- De novembro até agora permitiram aumentar o horário de funcionamento, mas continuamos com a capacidade reduzida em 50%, e funcionando até 23h30m a semana toda, afirmou.


Uma sócia do restaurante foi representar a casa no ato do Clube de Dirigentes Lojistas (CDL), que aconteceu nesta sexta, ao meio-dia, em frente à Prefeitura. A gerente do bar explica que eles querem a manutenção do horário:


- Queremos reivindicar a manutenção do horário, pois já estamos mantendo medidas de distanciamento e prevenções contra a Covid-19.


O restaurante de comida nordestina Barraca da Chiquita, em Icaraí, também já estava funcionando com metade da capacidade desde a sua reabertura em julho do ano passado. Com as novas regras, o restaurante só poderá funcionar até as 17h, mantendo a restrição de clientes. Segundo o gerente, Maurício Pereira, eles ainda não sabem dizer como ficará o serviço de delivery.


O restaurante Buzin também informou que irá seguir com as novas normas de contenção da Covid-19 impostas pela Prefeitura.


- Iremos acatar s restrições impostas pela Prefeitura a partir desta sexta. Já estamos avisando aos clientes que estavam com reserva para hoje que não iremos funcionar a partir das 18h. Tínhamos reserva para 30 pessoas - disse um funcionário do restaurante Buzin, da unidade de Icaraí, que preferiu se manter anônimo.


Protesto de donos de bares e restaurantes contra as restrições


Restaurantes tradicionais da cidade como Da Carmine, Torna, Queen e o Tutti Amici Grastronomia, este em Itaipu, emitiram um comunicado que está sendo replicado por vários estabelecimentos em seus perfis de redes sociais. O movimento levou a hashtag #GastronomiadeNiterói. No comunicado, os restaurantes dizem que concorda e apoiam as novas restrições do município para conter a pandemia, mas que é preciso recuar para avançar com segurança.


"Após mais de um ano nessa batalha, aprendemos a trabalhar com segurança e, assim, como outros setores, podemos reduzir sem fechar. Podemos trabalhar com segurança respeitando as novas medidas. Precisamos trabalhar até as 23h. Segurança, bom senso, parceria e fiscalização nós apoiamos."


CEO do H Niterói Hotel se preocupa com a crise dos restaurantes


Diretor do H Niterói, Rodrigo Alvite, diz que o hotel continuará funcionando da mesma forma que antes do decreto, já que o restaurante já estava fechado para as refeições de almoço e jantar. Dessa forma, o restaurante segue abrindo apenas para alguns cafés da manhã, respeitando todas as medidas de protocolo de segurança, já que a maioria dos cafés está sendo servido nos quartos. As áreas comuns também seguem fechadas e seguirão assim, sem previsão de retorno do funcionamento regularizado. O hotel não tinha programado nenhum casamento ou qualquer evento para os próximos 15 dias.


- Falando pelo hotel, as medidas impostas pela Prefeitura não afetam em nada o que eu estou vivendo hoje. Pelo lado do restaurante, eu não tenho conhecimento técnico para saber da necessidade, mas me preocupa o fechamento feito 24h antes porque os restaurantes se programam, estocando produtos para o final de semana, que são os dias de maior movimento e agora ficam 15 dias assim. Geralmente a parte da noite representa 80% dos restaurantes do seu volume, então essa mercadoria vai estragar e os alimentos podem vencer. Me preocupa a pouca antecedência e a baixa previsibilidade para que as empresas se organizem – concluiu.