'Parem de nos matar!', dizem mulheres em protesto pela morte da jovem Vitórya

Grupo se reuniu em frente ao Plaza, dias depois do assassinato da jovem Vitórya, morta a facadas no shopping


por Amanda Ares


Ato pediu medidas mais duras para evitar e punir feminicídio. Foto: Rebeca Belchior.


Muita comoção envolveu o ato organizado pelo coletivo Levante Feminista, na noite desta segunda-feira (07), em frente ao Plaza Shopping, que lembrou a memória da jovem Vitórya Melissa, morta no dia 2 de junho no local, vítima de feminicídio. O ato, que reuniu mais de 100 pessoas, em sua maioria mulheres, pedia o fim da violência sofrida pelas mulheres. A família de Vitórya Melissa estava presente no ato, pedindo justiça pela jovem.


Leia também: juíza destaca crueldade de acusado e decreta prisão preventiva


Cartazes incentivavam a denúncia de violência contra mulher. Foto: Rebeca Belchior


Na entrada do Plaza Shopping, o grupo pendurou cartazes com mensagens contra o feminicídio e de incentivo à denúncia de violência contra a mulher e de gênero. As participantes distribuíram girassóis e ascenderam velas. Organizadoras fizeram falas de pesar pela morte da vítima, e denunciaram a violência causada pelo machismo e misoginia na sociedade, que causa a morte de mulheres diariamente no Brasil.


- Nós não gostaríamos de estar aqui, mas infelizmente é necessário. Vitórya era uma de nós, e ela foi vítima de uma brutalidade. Nós não aguentamos mais. - disse uma das participantes, ao microfone.


Vozes, flores e velas protestavam contra a violência de gênero. Divulgação


Prisão Preventiva


O responsável pelo crime, Matheus dos Santos, teve prisão preventiva decretada também nesta-segunda feira (07) pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). A juíza Rachel Assad da Cunha avaliou que "a gravidade da conduta é extremamente acentuada, já que o custodiado tirou a vida da própria amiga por quem, segundo informações dos autos, nutria sentimentos não correspondidos". A magistrada negou o pedido de liberdade provisória feito pela defesa.