Empresas de Niterói terão socorro para enfrentar crise

Financiamento vai dar fôlego para comércio, indústrias e pequenos negócios voltarem a produzir


Secretária de Fazenda, Giovanna Victer, comanda plano de retomada econômica de Niterói


A Prefeitura de Niterói anuncia nesta quarta-feira (15) programa de financiamento para pequenas e médias empresas terem capital de giro, depois de 120 dias paradas durante a pandemia, para retomar as suas atividaes, mantendo empregos e gerando renda. A linha de crédito aberta com recursos próprios poderá beneficiar mais de mil empresas.


A maioria das empresas de Niterói precisou fechar as portas por quase quatro meses. Neste período, a prefeitura desenvolveu o projeto Niterói Supera, que previa o empréstimo por meio do Banco do Brasil a empresários da cidade com o custo zero. Já foram empenhados, segundo a secretária Giovanna Victer, R$ 16 milhões para 209 empresas. Mas o projeto não teve a celeridade e capacidade de empréstimos desejadas, criando-se, então, o Niterói Supera Mais. Neste programa, a prefeitura contrata uma agência financeira para intermediar o empréstimo de recursos públicos.


- O Banco do Brasil é muito burocrático, mas nenhum outro banco se interessou em participar do Niterói Supera. Ou escolhíamos o Banco do Brasil ou não conseguiriamos nenhum. O banco não conseguiu suprir o projeto, eles começaram a atender empresas com faturamento maior do que R$ 1 milhão, dando prioridade para quem já era cliente. E não era isso que queríamos. Por isso, resolvemos dar atenção para as empresas com faturamento de até 1 milhão por ano - explicou Giovanna.


O programa entra em vigor na próxima segunda-feira (20). A Agência Estadual de Fomento do Rio de Janeiro (AgeRio) vai realizar a concessão de empréstimos com recursos próprios do município para micro e pequenas empresas da cidade com faturamento anual de até R$ 1 milhão. Serão realizadas operações de crédito de R$ 20 mil a R$ 80 mil, com carência de 10 meses. Empresas de setores que ficaram mais tempo com as atividades paralisadas por causa da pandemia, como restaurantes, lanchonetes e academias, terão prioridade. Não será preciso fazer uma nova inscrição, pois será utilizada a base de cadastros do programa Niterói Supera.


- No Supera Mais quem criou as regras de empréstimo foi o governo, com toda a responsabilidade, porque é recurso público. Quem já se inscreveu para o Niterói Supera vai receber um e-mail solicitando que envie a documentação para a Fazenda, vamos checar e depois enviar para a AgeRio. A prioridade será para quem já estava inscrito no Supera, quando todos conseguirem, aí abrimos mais vagas para quem ainda não estava inscrito.