Enteados do diretor do Azevedo Lima foram filmados furando fila da vacina

Jovens de 16 e 20 anos apareciam na listagem de vacinados como estagiário e acadêmico de medicina

Hospital Azevedo Lima. Reprodução


Um vídeo dos enteados do diretor do Hospital Estadual Azevedo Lima furando a fila da vacinação na unidade foi o que motivou a denúncia feita à Polícia Civil. O material foi recebido pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren/RJ) e encaminhado à Delegacia de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (DCC-LD).


Leia mais: Enteados do diretor do Hospital Estadual Azevedo Lima são suspeitos de furar a fila da vacina na unidade


A denúncia apresentada pelo Coren/RJ diz que dois jovens, um rapaz de 16 anos e uma de 20 anos, filhos de uma coordenadora do hospital e enteados do diretor técnico da unidade teriam sido imunizados no hospital sem pertencer ao grupo prioritário. Os jovens apareciam na listagem de vacinação como estagiário e acadêmico de medicina.


À Agência Brasil, o delegado Thales Nogueira disse que os cartões de vacinação dos jovens também foram encontrados durante operação realizada na manhã desta segunda-feira, comprovando que ambos haviam sido imunizados contra a Covid-19.


O delegado revelou, ainda, que a partir desta terça-feira, os jovens e a mãe deles serão ouvidos. A mulher é coordenadora do Heal. O diretor técnico da unidade será ouvido futuramente.


— Ao final o diretor vai ser ouvido para verificar se ele tem algum envolvimento — disse o delegado, sem descartar a possibilidade de ter outros casos como este dos jovens na unidade.


Secretaria estadual de Saúde diz que colabora nas investigações

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro informou que “está colaborando com as investigações da Polícia Civil para que todos os fatos sejam apurados de forma rigorosa e transparente”. “A SES não compactua com atitudes como esta e, embora seja uma ação isolada, está reforçando entre suas equipes o irrestrito cumprimento de Notas Técnicas já publicadas pela Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS)”, diz a nota da Secretaria.


Ainda de acordo com a Secretaria estadual, o diretor técnico e a coordenadora do Hospital Estadual Azevedo Lima são funcionários da Organização Social Instituto Sócrates Guanaes (ISG) e foram afastados de suas atividades para investigação interna da denúncia.


“A Secretaria reforça que preza pela transparência e correção nas ações de saúde pública. Todas as irregularidades apuradas serão encaminhadas à Polícia Civil e aos órgãos de controle”, concluiu na nota.


© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.