Entenda as diferenças entre isolamento social e lockdown

Mesmo com variações, nos dois casos o importante é que as pessoas fiquem em casa para evitar a propagação do coronavírus


Praia de Icaraí deserta no 'lockdown' de maio passado. Foto Divulgação


O inimigo é um só: o coronavírus. E para derrotá-lo a melhor receita continua sendo, além da vacina, o isolamento social. É o que acontecerá em Niterói a partir desta sexta-feira (26) e até o domingo de Páscoa, num período de dez dias. Mas o que acontecerá aqui será um lockdown?


Lockdown, palavra que pode ser traduzida como confinamento, é o bloqueio total de uma região. Por autorizar medidas mais rígidas em situações extremas, como uma pandemia, o lockdown precisa ser aprovado pela Justiça ou pelo Legislativo. É uma lei. A diferença para a quarentena ou isolamento é jurídico: lockdown é lei ou ordem judicial. E costuma ter regras ainda mais duras que uma quarentena.


Nos dois casos, porém, tanto no lockdown como na quarentena, as restrições variam, dependendo do que for aprovado pelo Legislativo, ordenado pela Justiça ou decretado pelo Prefeito, mas ambos têm como medida principal o isolamento social.


Em Niterói e no Rio de Janeiro, o bloqueio mais rígido que entra em vigor nesta sexta-feira (26) foi estabelecido por decreto dos prefeitos de cada cidade. A Assembleia Legislativa também aprovou um pacote de restrições para todo o Estado do Rio.


O lockdown costuma ter regras mais duras como as que teremos no Rio e em Niterói, como a proibição de ir de uma cidade ou região para outra e necessidade de autorização escrita para sair de casa. Mas a quarentena aqui costuma ser popularmente chamada de lockdown porque tem restrições rígidas, que variam de uma cidade ou estado para outro, dependendo da decisão do prefeito ou do governador.


Saiba mais: shoppings, praias, restaurantes e comércio de rua também terão de fechar

Com o lockdown as pessoas ficam proibidas de circular por ruas, praças e parques sem que comprovem motivos emergenciais. Há fiscalização e multas caso o cidadão desrespeite o confinamento. Também são bloqueados acessos às cidades, com controle de passageiros. Moradores podem sair de casa apenas para fazer compras essenciais, nos serviços que têm autorização para funcionar, como supermercados, padarias e farmácias.


Quem trabalha em serviços essenciais, como profissionais de saúde ou caixas de supermercado, pode circular, mas deve levar uma autorização por escrito da empresa em que trabalha, carteira de trabalho ou crachá.

Mas lockdown e quarentena ou isolamento social têm o mesmo objetivo, que é limitar a circulação e a aproximação das pessoas para evitar, como é o caso agora, a propagação de um vírus muito contagioso e que pode ser letal. Mais de 300 mil pessoas já morreram no Brasil de Covid em um ano, uma tragédia sem precedentes, e o consenso dos especialistas é que é preciso fazer o isolamento para evitar a circulação do vírus.


Leia mais: praias serão fechadas em todo o Estado do Rio

Portanto, chame como quiser: lockdown, isolamento, quarentena, confinamento... O importante é ficar em casa, se possível, e evitar a todo custo aglomerações.