Epidemiologistas da UFF recomendam lockdown imediato em Niterói

Professores da universidade alertam que, diante do aumento de casos e mortes, cidade deveria adotar medidas rigorosas


Ruas cheias, filas para exames e o risco de novo pico de casos e mortes por Covid na cidade


A recomendação é de quem conhece o assunto, dos professores do Departamento de Epidemiologia e Bioestatística da UFF, diante do aumento de casos de Covid e mortes em Niterói: adotar com a máxima urgência medidas rígidas de distanciamento social, incluindo a reinstituição de lockdown. Segundo o texto, a pandemia atingiu um novo pico, com 1.113 casos semanais, e a ocupação dos hospitais na cidade chega a quase 80% dos leitos de UTI.


Leia mais: Prefeitura pede para hospitais privados abrirem novos leitos


O documento dos docentes alerta que o número de mortes na cidade pode ser maior que os 584 óbitos registrados no boletim da prefeitura no domingo, 20. Informa que pelo Sistema de Informações da Secretaria Estadual de Saúde, Niterói já apresentava, até novembro, 939 mortes com causa básica atribuída ao Coronavírus. Os especialistas advertem, porém, que mesmo tomados os dados da Prefeitura, a taxa de mortes por cem mil habitantes é de 113, um número bastante elevado.


A recomendação dos especialistas é o retorno imediato de medidas de restrição a aglomerações e a circulação de pessoas na cidade, entre elas o lockdonw. De acordo com o documento, o movimento tem sido intenso na cidade, com a taxa de isolamento em torno de 40%, o que favorece o contágio da doença. Durante o período de lockdown em maio o taxa de isolamento chegou a 62%.



E conclui: "Embora Niterói tenha se programado para adquirir uma das possíveis vacinas disponíveis, ainda está longe de termos a maior parte da população protegida. Os dados acima mostram um cenário bem pior que o dos meses iniciais da pandemia. É hora de medidas mais firmes para salvar vidas!"


Leia também: Niterói vive pior momento da Covid, mas ruas estão lotadas


Veja o texto da recomendação dos especialistas da UFF na íntegra:


"Niterói, 22 de dezembro de 2020

Recomendação técnica baseada na Situação epidemiológica em Niterói - COVID-19


Nós, docentes do Departamento de Epidemiologia e Bioestatística da UFF, vimos manifestar nossa preocupação e recomendar, com a máxima urgência, o retorno das medidas rígidas de distanciamento social, incluindo a reinstituição de lockdown na cidade de Niterói. Segundo a Prefeitura de Niterói (no site SIGEo), a pandemia atingiu, na semana epidemiológica 47 (final de novembro), o maior pico até o momento, com 1.113 casos semanais, e ocupação de quase 80% de leitos de UTI. Segundo esse mesmo site, o isolamento social em dezembro tem sido cerca de 40%, bem abaixo do período inicial, quando sob o lockdown, foi alcançado um patamar de 62%, na semana epidemiológica 13 (https://experience.arcgis.com/experience/305269f3cdd24839b263c5ab346e1aa7).

Quanto à mortalidade, o Sistema de Informações (SIM), atualizado na página da Secretaria Estadual de Saúde até novembro, registrou 939 óbitos com causa básica atribuída ao Coronavírus (CID-B34) (http://sistemas.saude.rj.gov.br/scripts/tabcgi.exe?sim/obito.def). Esse número supera o divulgado no Instagram (https://www.instagram.com/curtoniteroi/?hl=pt-br), provavelmente porque as notificações dependem de exames confirmatórios, enquanto a declaração de óbito segue as recomendações da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde, considerando os critérios clínicos. Com base nos números oficiais – 584 óbitos, a taxa de mortalidade é de 113 por 100.000 habitantes, bastante elevada. Embora Niterói tenha se programado para adquirir uma das possíveis vacinas disponíveis, ainda está longe de termos a maior parte da população protegida. Os dados acima mostram um cenário bem pior que o dos meses iniciais da pandemia. É hora de medidas mais firmes para salvar vidas!"