Especialistas dão parecer, e Ministério da Saúde pode vetar cloroquina em hospitais

Grupo técnico enviou documento no qual confirma que medicamentos como cloroquina, azitromicina e ivermectina não funcionam contra a Covid

Medicamentos ineficazes podem ser vetados. Divulgação/Prefeitura de Niterói


Um grupo técnico formado pelo Ministério da Saúde para ajudar a criar um protocolo de tratamento para pacientes com Covid elaborou um documento no qual desconselha o uso de determinados medicamentos em hospitais. Tratam-se das drogas que têm sido associadas aos cuidados de contaminados pelo coronavírus, mas que já se mostraram ineficazes contra a doença. As informações são do site "G1".


Leia mais: E agora? Sem insumo para produzir vacinas, Brasil está nas mãos da China


Entre os medicamentos, estão a hidroxicloroquina ou cloroquina, a azitromicina e a ivermectina, que tiveram o consumo amplamente incentivado por políticos e influenciadores digitais, mas que jamais tiveram comprovação de que seja benéficos.


"Alguns medicamentos foram testados e não mostraram benefícios clínicos na população de pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados, sendo eles: hidroxicloroquina ou cloroquina, azitromicina, lopinavir/ritonavir, colchicina e plasma convalescente. A ivermectina e a associação de casirivimabe + imdevimab não possuem evidência que justifiquem seu uso em pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados nessa população", aponta o documento formulado pelo grupo técnico.


O texto agora será analisado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) para depois ser colocado em consulta pública por dez dias. Ao fim desse período, o parecer pode embasar um protocolo oficial do Ministério da Saúde excluindo as drogas citadas do rol de medicamentos usados em hospitais.