Festival de teatro Niterói em Cena terá espetáculos e oficinas online

Ao todo, serão 16 peças teatrais para adultos e crianças produzidas por artistas de diversos cantos do mundo

Por Livia Figueiredo

Festival Niterói em Cena começa nesta quinta (18) com apresentações e sessões de debate online / Foto: Divulgação


Um grande intercâmbio cultural. É assim que o diretor Fabio Fontes define o Festival Niterói em Cena, que começou nesta quinta-feira (18) com programações até 24 de fevereiro. O evento é gratuito e oferece a possibilidade de contribuições voluntárias. Dessa vez, devido à pandemia, o festival teve que ser adaptado para o formato virtual e foi dividido em duas etapas, sendo esta a internacional. A nacional aconteceu em dezembro. No total, serão 16 espetáculos teatrais para adultos e crianças produzidos por artistas de diversos cantos do mundo, como Alemanha, Nigéria, Moçambique, Espanha, Itália e Brasil.


As atrações plurais dão o tom do “Niterói em Cena”, que promoverá uma seleção de espetáculos regionais, nacionais e internacionais de grupos consagrados e iniciantes. Na abertura do evento, houve um encontro virtual com o diretor Gerald Thomas sobre sua trajetória, novos projetos do diretor e autor teatro, com um panorama do teatro atual, direto de sua casa em Nova York.


Serão exibidas duas mostras: a Mostra Niterói, que contará com a exibição de 4 espetáculos do município, e a Mostra Teatro em Casa, reunindo 12 espetáculos ao vivo ou gravados. Entre as atrações estão as peças "Katie’s Tales" (Itália), "Kolofu" (Nigéria) e "Todos os Sonhos do Mundo" (São Paulo).


Após as apresentações, será transmitido um debate de 30 minutos com a equipe criativa dos espetáculos. Para assistir às montagens no Zoom ou no canal do Youtube do Festival, o espectador deve retirar os ingressos no site niteroiemcena.com.br.


Atrações plurais


Segundo o diretor do festival, Fabio Fortes, o evento é uma oportunidade para o público assistir a grandes espetáculos e debater temas como teatro contemporâneo, arte na pandemia, reinvenção e resistência. Ele diz que esta edição trará algo inédito: pela primeira vez, metade do evento contará com produção internacional.


Foto: Divulgação


Oficinas


O 13º Niterói em Cena também conta com uma série de atividades durante a semana. Serão realizadas quatro oficinas:


1 – "Teatro online: reflexão e prática", com o diretor Moacir Chaves, no dia 22/02 às 10h;

2 – "Conversas com novos grupos e artistas sobre organização e sobrevivência artística", com Chico Pelúcio e Maria Helena Cunha, nos dias 23/02 e 24/02 às 11h;

3 – "Teatro Para Curiosos: Nordeste de Suassuna pelo viés do Movimento Armorial", com a atriz e professora Simone Kalil, no dia 19/02 às 11h;

4 – "Poesia de brincar: quando as técnicas teatrais ultrapassam as barreiras da cena", com Giselle Sabatini, no dia 23/02 às 14h.


Serão quatro mesas de debates: além da abertura com o diretor Gerald Thomas, outras três com os temas “Artes e ativismo cultural: ferramentas da luta antirracista da abolição aos dias atuais”. Mediação: João Luiz de Souza (o João do Corujão): “Como tornar o Teatro Acessível”, e “Internacionalização do teatro”.


As inscrições podem ser feitas pelo site do festival e, quem não conseguir vaga poderá assistir ao vivo pelo canal do Youtube Niterói em Cena.