Fiocruz alerta: variantes do coronavírus já são dominantes no estado do Rio

Em Niterói, ainda não há testes, mas Secretário de Saúde alerta que é provável a ocorrência das variantes britânica, a sul-africana e a de Manaus



As variantes do coronavírus já são dominantes no estado do Rio de Janeiro. Um estudo da Fundação Osvaldo Cruz, divulgado nesta quarta-feira (10), revelou que as mutações do vírus como maior poder de transmissão e risco já dominam seis estados do país, além do Amazonas, entre eles o Rio de Janeiro. Das amostras coletadas no estado, 62,5% correspondem às novas cepas da doença. Não há testes feitos especificamente em Niterói, mas o Secretário de Saúde Rodrigo Oliveira, disse, na Câmara Municipal, que "é provável" que estas variantes já circulem na cidade.


O estudo da Fiocruz avaliou cerca de mil amostras do vírus coletadas em oito estados brasileiros: Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Destes, seis demonstraram a presença da variante como dominante, quer dizer, com prevalência em mais da metade das amostras analisadas: CE (71,1%), PR (70,4%), PE (50,8%), RJ (62,7%), RS (62,5%) e SC (63,7%). Apenas dois dos estados avaliados não apresentaram a presença predominante da variante: AL (42,6%) e MG (30,3%).


O mundo acompanha com preocupação a evolução da doença e as mutações do vírus. As variantes mais disseminadas do Sars-CoV-2, são: a britânica, B.1.1.7; a sul-africana, B.1.351; e a brasileira - ou de Manaus -, P.1, que se espalharam por todo o mundo.

Os testes realizados, no entanto, não permitem distinguir entre as três variantes, reportam apenas a presença de uma variante, pode ser um ou outra ou o conjnto delas.


A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Niterói esclarece que até o momento não foram identificadas variantes do coronavírus no município. A SMS monitora todos os casos de Covid-19 e, quando há necessidade, realiza a análise da variação genética pelo laboratório Central Noel Nutels (LACEN-RJ), do Governo do Estado. O critério para o envio das amostras é de pacientes sintomáticos que estiveram nos últimos 15 dias em locais que possuem a variante do novo coronavírus comprovadamente, ou que tiveram contato, também nos últimos 15 dias, com pessoas infectadas nesses locais. A Secretaria estadual de Saúde informou que foram identficados cinco casos com as variantes do vírus no Estado. A Secretaria de Saúde de Niterói reforça que nenhuma delas foi identificada em Niterói. O município adotou medidas mais restritivas desde a última sexta-feira (05) considerando que o Brasil vive hoje seu pior momento da pandemia da Covid-19 desde março de 2020, e Niterói, mesmo seguindo um conjunto de medidas, rastreando contágio e monitorando casos, está na segunda maior região metropolitana do Brasil. Além disso, foi avaliada a velocidade de crescimento da doença e houve o crescimento do indicador-síntese, que passou de 8 para 9,38. Caso o indicador chegue a10, Niterói pode entrar num estágio de alerta mais grave, que estabelece medidas mais rigorosas de restrição às atividades.


O Secretário de Saúde Rodrigo Oliveira apresentou na Câmara Municipal de Niterói um relato da situação de Niterói. Explicou que o aumento do número de casos e internações tem sido rápido. E disse que não se pode descartar, com também não se pode assegurar, a presença das variantes do coronavírus na cidade. Na ultima reunião do Comitê de crise, o Prefeito já havia alertado que a crise verificada em outros estados "está chegando perto".



Na apresentação que o Secretário Rodrigo Oliveira levou aos vereadores, os gráficos que reportam a ocupação dos hospitais mostram a mesma curva: depois do aumento dos casos em novembro e dezembro, a queda em fevereiro, para novo aumento de internações nos primeiros dias de março