Membro do Comitê Científico diz que 'lockdown' só terá sucesso se isolamento superar 70%

Professor Aluísio Gomes da Silva diz esperar que a população niteroiense colabore no período

Por Gabriel Gontijo

O especialista Aluísio Gomes da Silva. Foto: Divulgação


Um dos integrantes do Comitê Científico criado em Niterói para acompanhar a situação da covid na cidade, o professor da UFF e diretor do Instituto de Saúde Coletiva da instituição, Aluísio Gomes da Silva, disse que se o município conseguir uma taxa de isolamento superior a 70% durante o "lockdown" o resultado tende a ser positivo. Nesta sexta-feira, Niterói fechara shoppings, comércio não essencial, praias, bares e restaurantes, entre outros estabelecimentos e atividades, para tentar conter o avanço da Covid-19.


Leia também: Entenda as diferenças entre lockdown e isolamento


Com a rede hospitalar da cidade ameaçada de colapso, o especialista diz que o índice ideal seria de 100% de isolamento, mas que sabe que "não é possível chegar a esse número". Por isso, afirma que se a adesão ao "fique em casa" superar 70% já será "um grande sucesso a estratégia".


O professor cita exemplos de outros lugares do mundo e até mesmo cidades brasileiros onde a medida deu certo.


- Niterói deve se guiar pelo exemplo de lugares que recentemente tiveram queda no número de internações graças ao lockdown. Aqui no Brasil mesmo há exemplo, como foi o caso de Araraquara, no interior de São Paulo. Hoje a situação se encontra muito mais controlada na cidade - afirmou o diretor do ISC. De fato, houve redução de mais de 57% dos novos casos, queda de 31% nas internações e diminuição de 39% das mortes, segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara.


Mas ele alerta que a medida precisa ser "bem feita" para dar certo, pois onde houve baixa adesão não foi registrada melhora alguma. Por isso, Aluísio acredita que a população niteroiense vai colaborar, pois a cidade deu um "bom exemplo" no ano passado, em maio, quando a taxa de isolamento foi de 62% e houve redução no número de casos, internações e óbitos causados pela covid.


Acompanhamento telefônico para o isolamento dar certo


O integrante do Comitê Científico também explicou que o acompanhamento do lockdown se dá através de um indicador obtido graças a um mecanismo tecnológico, no qual as operadores de telefonia móvel localizam pelo celular quem se encontra em casa e quem está na rua. A partir disso, um gráfico é feito, permitindo acompanhar em tempo real como está o cumprimento do lockdown por parte dos moradores.


- As operadoras de telefonia conseguem encontrar onde cada pessoa está. Com isso, é gerado um gráfico que é incorporado no painel de acompanhamento da pandemia em Niterói, obtida no site da Secretaria de Planejamento da Prefeitura - explicou.


Ele reitera que o ideal seria que mais de 90% da população ficassem em casa, mas tem boa expectativa que o niteroiense entenda que o atual momento é crítico e que cada um fará a sua parte, evitando ir à rua sem necessidade.