Já chega a 79% a ocupação dos leitos privados para Covid em Niterói

Atualizado: 26 de Nov de 2020

Relatório dos hospitais particulares registra aumento de casos nas UTIs: 60% de ocupação



O boletim semanal do Sindicato dos Hospitais Privados de Niterói e São Gonçalo, o SINDHLESTE, aponta aumento sensível na ocupação de leitos e UTIs, em relação à semana anterior. Segundo o relatório distribuído nesta quarta-feira, 25, 239 quartos reservados para pacientes com Covid estão ocupados, o que representa 79% de ocupação. No casos da UTIs, são 167 posições ocupadas, 60% do total disponível. Na soma, são 406 pessoas internadas em Niterói - 30% a mais que os 314 da semana anterior.


A evolução do número de internados foi ainda mais expressiva: de 169 doentes em leitos hospitalares para 239, aumento de 45%. A taxa de crescimento no caso das UTIs confirma que os resultados médicos no combate à doença tem sido melhores, atualmente, do que no pico da pandemia: o número de internados nas UTIs passou de 145 para 167, aumento de 15%.


Os números de Niterói coincidem com a evolução de novos casos registrados na cidade, que nos últimos sete dias está perto de 100 por dia, o que não acontecia desde julho, quando a cidade começou a se afastar do pico da doença.


Curiosamente, os números registrados na rede particular são piores em Niterói do que os verificados em São Gonçalo, cidade em que a ocupação da rede pública chegou a 100% e adotou medidas de restrição ao comércio e outras atividades. São Gonçalo tem 40 quatros ocupados, com uma taxa de 45% de ocupação; e 36 leitos de UTI, 53% do total. Em recente transmissão, o Prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, alertou que pacientes de São Gonçalo estariam procurando a rede privada de Niterói.


Número de internações não subia tanto desde o pico da doença

Desde o pico da doença, registrado em maio, junho e julho, Niterói não apresentava números tão ruins. Na primeira semana de agosto, eram 72 internados em leitos (24%) e 66 em UTIs (23%). No início de setembro, 55 nos leitos (18%) e 63 nas UTIs (22%). O número de internações se manteve estável em setembro, sempre abaixo de 30% de ocupação hospitalar. Na última semana do mês, eram 74 nos leitos (24%) e 52 em UTIs (18%). A piora coincide com a flexibilização das atividades a partir do fim de setembro e início de outubro. O salto é de 126 internações, no total, para 406, em apenas um mês.


Os números são diferentes daqueles que a Prefeitura divulga em boletins diários, exibido pelo Prefeito Rodrigo Neves em suas lives e no Facebook. Neles, o número de internos não passa de 105. Também não coincidem com os dados que a mesma Prefeitura exibe no índice de monitoramento da Covid, que aparece no site do Município. No último relatório, datado de 19 de novembro, eram 417 hospitalizados nas redes pública e privada. A Secretaria de Saúde de Niterói não explica a disparidade dos números.