Limite da biotecnologia é o tema da peça 'Feio In Loco', em cartaz no Teatro da UFF

Com texto de Pedro Kosovski e direção de Helena Marques, espetáculo vai ao ar virtualmente às 20 horas


Por Gabriel Gontijo

Foto: Renato Mangolin


Uma pessoa que nasce de uma chocadeira industrial e que é diferente dos demais tenta se encontrar em um mundo dominado pela biotecnologia. Esse é o tema da peça "Feio In Loco", que está em cartaz neste sábado e também no domingo no Teatro da UFF às 20 horas. O espetáculo tem o texto de Pedro Kosovski, direção de Helena Marques e conta com os atores Breno Paraizo, Caio Passos, Fabio Lacerda e Reinaldo Dutra no elenco.


Leia mais: Centro de Artes UFF exibe ciclo de cinema indígena no mês de abril


Inspirada na fábula infantil “O Patinho Feio”, o espetáculo é encenado na plataforma Zoom usando texto em narração e linguagem que mistura teatro gestual, audiovisual, performance e formas animadas. A peça discute o estatuto da “vida” diante dos impasses éticos relacionados à indústria de alimentos e os avanços da engenharia genética.


Na trama Feio é diferente dos demais por não se adaptar aos protocolos sanitários da granja biotecnológica onde nasceu, sendo que o local onde a história se passa é de um ambiente onde a produção de vida é controlada antes do nascimento e vai até o último estágio do abate, tornando-se parte de um processo que alia a máquina ao capital. Mas quando menos esperam, a natureza os surpreende e mostra que pode ser superior à melhor das tecnologias.


Enquanto não podem atuar presencialmente, os atores transformaram a peça para o ambiente virtual, onde cada ator encenará da própria casa com elementos que ajudarão a contar essa história no espaço digital, além de levarem para a encenação um pouco de suas experiências pessoais com a pandemia e o isolamento.


- Durante o processo, percebemos que muitos recursos e dinâmicas que gostaríamos de fazer em um espetáculo presencial não funcionam na tela. Os corpos dos quatro atores não poderão trabalhar juntos, no mesmo espaço, construindo imagens. Isso nos obrigou a experimentar outros recursos para contar essa história, como o uso deluminárias, máscaras e luvas, além de elementos orgânicos, como ovos, água e a própria pele, que ganha outra leitura quando vista em um ângulo mais fechado. Tudo isso se transforma em texturas, formas animadas e prolongamento dos corpos - afirma Helena Marques.


A espetáculo é encenado pela companhia teatral Dobra e tem patrocínio do Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da lei Aldir Blanc.


Serviço:

"Feio In Loco"

Data: 09 a 11 de abril de 2021

Dias: Sexta a Domingo

Horário: 20 horas

Ingressos: Gratuito

Transmissão: https://www.facebook.com/centrodeartesuff/

Classificação: 12 anos