Lotação dos hospitais de Niterói oscila mas mantém queda em relação ao início do mês

Relatório dos hospitais particulares mostra ocupação de 57% dos leitos e 68%, mantendo tendência de queda; na rede do SUS, a lotação aumentou



Uma semana de estabilidade, na ocupação dos hospitais particulares. No último relatório do Sindhleste, divulgado nesta sexta-feira (23), 51% dos leitos e 65% das vagas de UTI reservadas para pacientes de Covid estavam ocupados. No início da semana, na terça-feira, a taxa era de 57% e 68%, respectivamente. No relatório de primeiro de abril, pior momento da nova onda da doença, 84% dos leitos e 92% das vagas de UTI estavam ocupados.


O panorama na rede pública também mostrou alguma oscilação, mas no sentido contrário. Pelos dados da Secretaria Estadual de Saúde Niterói tem 71% dos leitos e 84% das UTIs reservadas pelo SUS ocupadas. Na segunda-feira à noite, eram 62% de ocupação dos leitos e 77% das UTIS. Apesar da variação para cima, o número ainda é bem melhor do que se registrava no início da abril, quando a ocupação passou de 90%.


Na transmissão do Gabinete de Crise da Prefeitura realizada na noite de segunda-feira (19), o Secretário de Saúde Rodrigo Oliveira destacou que as medidas de isolamento tiveram o efeito de reduzir a lotação dos hospitais, enquanto cidades vizinhas ainda apresentam filas de espera para internação. No caso do Rio, a ocupação hospitalar permanece em 84% dos leitos e 93% das UTIs.


Os epidemiologistas preferem analisar períodos mais longos para definir tendências. Por isso, a análise da média móvel considera um período de 14 dias. Muitas vezes, a evolução apresenta oscilações que não correspondem à curva da doença. Em relação ao início do mês, o gráfico ainda apresenta apresenta uma queda.