Moradores de Niterói usam a criatividade para comemorar o dia dos namorados

Sem bares e restaurantes, encontro romântico exige inspiração, mas não vai faltar carinho


“Não é só com beijos que se prova o amor!”, dizia o slogan do primeiro Dia dos Namorados brasileiro em meados do século passado, quando a data foi criada no país. Se por aqui a comemoração surgiu para alavancar as vendas do comércio em junho, os casais apaixonados com certeza transformaram o significado deste dia em amor e carinho com o outro. Todo 12 de junho, as redes sociais ficam repletas de homenagens e declarações de afeto, assim como as ruas e restaurantes, em que casais celebram juntos a união. Apesar da pandemia do coronavírus mudar muitos planos, sempre há meios de comemorar o amor, de perto ou de longe.


Se neste ano será difícil viajar ou sair para jantar e comemorar fora de casa, o jeito foi pensar em como surpreender o parceiro ou planejar um bom momento a dois em casa mesmo. Por sorte, o período de maior transmissão da pandemia em Niterói parece já ter passado - o que não significa o fim da doença - e a cidade caminha para uma maior flexibilização do isolamento. Isto permitiu que alguns encontros pudessem acontecer neste Dia dos Namorados.


A estudante de psicologia Sanny Fontes ama datas comemorativas e faz questão de celebrar. O namorado, o estudante de marketing João Pedro Arantes, nem tanto. Mas o Dia dos Namorados se tornou especial para o casal, que já está junto há um ano e seis meses. Sem poder viajar ou sair, planejam um jantar especial em lugar diferente: a varanda.


Casal Sanny e João Pedro


- Ainda não tínhamos feito planos, mas com certeza iríamos comemorar de alguma forma. Vamos arrumar a varanda para fugir um pouco do ambiente de dentro de casa e fazer um ‘jantarzinho’ só para nós dois. O mundo está em um momento muito triste, acho que essa data vai ter um diferencial, vamos nos desligar um pouco desses assuntos e dar boas risadas - contou.


Por conta da pandemia, é visto e sentido, diariamente, o peso da doença. Seja das notícias tristes sobre o Covid-19 ou até do longo período de isolamento social - que já dura quase três meses em Niterói -, o Dia dos Namorados se tornou ‘um respiro’ na dureza do dia a dia para muitos casais. Até quem não era tão ligado em comemorar a data, passou a reconsiderar pelo momento vivido.


Para a jornalista Marina Mello, o período está sendo de reflexão sobre a vida, sentimentos e até o valor dado a pequenos momentos. Ela e o namorado, o corretor de imóveis Matheus Camelo, estão juntos há seis meses. Mesmo sendo o primeiro Dia dos Namorados do casal, chegaram à combinar que não iriam programar nada de especial, mas Marina mudou de ideia.



- Apesar de gostarmos de festejar, minha família nunca foi de dar presentes, e sim de celebrarmos juntos. Também não sou uma pessoa que se planeja com antecedência. E o Dia dos Namorados pede isso, pensar em presentes fofos, reservar restaurante porque estão sempre cheios. Por isso, sempre preferi passar o dia juntos, fazendo algo que gostamos. Mas, por conta do período que estamos vivendo, ficamos muito tempo afastados e pensei que seria legal surpreender na comemoração - adiantou a jornalista, que encomendou um kit especial para a noite.


Casal Marina Mello e Matheus Camelo


Apesar da Covid, não há muitas regras para a comemoração. O casal pode escolher como e quando o momento será celebrado. E também não tem idade ou tempo de relação. Ah, e não precisa de rótulos. O dia é dos namorados, mas a celebração é toda dos apaixonados. É por causa deste romantismo que o produtor de eventos Tiago Rocha e a enfermeira Ana Carla Rocha celebram todo ano a união, desde 2014.


Em abril, durante a quarentena, o casal comemorou nove dias seguidos de datas especiais, do dia 16 a 25, incluindo o aniversário de namoro, casamento no civil e o casamento no religioso. Para Tiago, além do romantismo das datas, o casal sempre arruma mais uma ‘desculpa’ para ficarem ainda mais juntos.


Casal Tiago e Ana Carla Rocha


- O Dia dos Namorados não é só para quem está começando o relacionamento. Do contrário, todo casamento cairia na rotina e se tornaria algo maçante. Um casamento também tem que ser romântico - opina.


Devido a pandemia, o casal não conseguiu comprar presentes um para o outro, um dos rituais da comemoração. Mas, pensam em pedir uma pizza ou outro petisco e assistirem a um filme juntos.


- Em branco a data não vai passar, nunca passa. Já não costumávamos sair no dia, pois tudo ficava muito caro e lotado. Optavamos por viajar no fim de semana seguinte, mas este ano também não faremos isso. Independente da situação, somos muito unidos e a pandemia permitiu que compartilhássemos ainda mais o dia-a-dia, o que acaba deixando o relacionamento numa rotina. Comemorar faz a gente esquecer um pouco dessa rotina e focar mais no relacionamento. Isso é bom para darmos mais atenção um ao outro - completou Ana Carla.

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.