Morte de médicos por Covid-19 comove Niterói

Radiologista Victor Luiz Bon trabalhava no CHN. Professora Célia Bastos Pereira morreu no dia 8. Centenas de enfermeiros foram contaminados


A morte do médico Victor Luiz Bon na sexta-feira, aos 49 anos, vítima da Covid-19, no Complexo Hospitalar de Niterói (CHN), sensibilizou a cidade. O radiologista atuava no setor de imagens, uma das áreas mais importantes no diagnóstico e acompanhamento da evolução da doença, no CHN e no Proecho. No dia 8 de maio, a cidade perdeu também outra médica radiologista, a professora Célia Bastos Pereira, da UFF.


O grande número de profissionais de saúde infectados e mortos pela Covid-19 em Niterói levou moradores a organizarem uma manifestação de suas janelas, nesta terça-feira, com apoio da prefeitura.


O último boletim sobre a Covid-19 em Niterói, divulgado este domingo à noite, mostra que a cidade já registrou a morte de 70 pessoas por coronavírus. São 1.286 casos de contaminação confirmados, com 75 pessoas hospitalizadas com teste positivo para Covid. Já foram recuperados, nas últimas oito semanas, 491 pacientes. Isso incluindo apenas os que já tiveram exames de Covid confirmados. No total, porém, incluindo os que tiveram síndrome respiratória aguda mas ainda não têm resultados de testes, são cerca de 200 recuperados por semana, segundo o prefeito Rodrigo Neves.


Victor era chamado pelos colegas médicos e pacientes de Vitinho, estudou no Abel e na Universidade Federal Fluminense (UFF). Era apaixonado por cavalos mangalarga marchador. Médicos que trabalharam com ele relataram que o radiologista quis continuar trabalhando, diante da gravidade da pandemia. Colegas que acompanharam o tratamento dele acreditavam na sua recuperação, quando o coração não resistiu. A perda do colega gerou enorme comoção, para quem se expõe ao risco diariamente para salvar vidas.


O que os médicos e profissionais de saúde relatam é que, apesar de todos os cuidados tomados, estão expostos a uma carga do vírus muito forte, especialmente nas UTIs, trabalhando com pacientes que exigem cuidados intensivos, em plantões que se alongam, pela redução dos quadros. Os hospitais têm mantido fora das unidades destinadas à Covid-19 os profissionais que fazem parte de grupos de risco, aqueles com idade acima de 60 anos e quem tem outras doenças. Mesmo assim, já são centenas os casos de contaminação registrados na cidade, especialmente entre o pessoal de enfermagem.


O boletim epidemiológico sobre o impacto da doença em Niterói, publicado em 4 de maio pela Fundação Municipal da Saúde e Universidade Federal Fluminense, revela que o número de profissionais contaminados é muito elevado. O estudo referente ao período de 5 de março a 17 de abril registrava, então, a existência de 238 casos confirmados da Covid-19 na cidade. Deste total, 102 eram profissionais da saúde. Médicos consultados sobre o assunto atestam o risco da doença, mas entendem que o percentual apurado no estudo apresenta uma distorção, dada a dificuldade de acesso a testes naquele momento. Os profissionais de saúde, por sua atividade, tinham preferência para o exame.


A ocorrência de contaminação dos profissionais de saúde também foi alertada esta semana, em manifestação dos enfermeiros diante do Hospital Antônio Pedro, na última quarta feira. Na ocasião, denunciavam a morte de cinco profissionais em Niterói. O A Seguir: Niterói ouviu na oportunidade o presidente do Conselho Federal de Enfermagem, Antônio Coutinho, que deu a dimensão do problema: 108 enfermeiros morreram e mais de 14.200 foram infectados pelo coronavírus no Brasil. No Estado do Rio, foram 3.100 infectados e 29 mortos.


A morte do médico Victor Bon provocou comoção entre os profissionais de saúde. O clínico Ricardo Carneiro diz que ele era um profissional muito respeitado e querido, que trabalhou intensamente no combate à doença.


- O Victor era um profissional muito envolvido com seu trabalho, dedicado, e que se relacionava bem com todo mundo. Parecia que estava se recuperando da doença, quando faleceu. Uma grande perda - lamentou.


As entidades reunidas no movimento #NiteróiAplaudeQuemCuida convocaram moradores para homenagear, nesta terça-feira, às 20h, os profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus na cidade. O convite é para a população manifeste da janela de casa seu aplauso a esses trabalhadores - profissionais de saúde, trabalhadores de serviços essenciais, guardas, assistentes sociais, pessoal supermercados, farmácias e serviços essenciais. O prefeito Rodrigo Neves endossou a manifestação:


- A população de Niterói vai mostrar sua gratidão aos nossos heróis. Eles estão na linha de frente no combate a esse inimigo invisível e merecem todo nosso apoio. Não somos profissionais para salvar vidas nos hospitais, mas podemos cuidar uns dos outros fazendo a nossa parte que é ficar em casa para evitar que o vírus se espalhe. Niterói vem vencendo essa batalha porque os niteroienses estão perseverando no isolamento social - afirmou o prefeito Rodrigo Neves.

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.