Mutação da Covid: saiba quais EPIs são mais adequados para o dia a dia

Máscaras, luvas, equipamentos profissionais ou semiprofissionais? O uso das máscaras de pano ainda é uma solução?


Por Amanda Ares


Com o surgimento de novas variantes mais contagiosas da Covid-19, os epidemiológistas alertam para o tipo certo de equipamento de proteção individual mais indicados para a proteção. A dúvida recai especialmente sobre as máscaras usadas no dia a dia. Depois de quase um ano de pandemia, será que o consumidor está sabendo escolher o EPI certo? E quanto ele vai gastar para isso hoje? O A Seguir: Niterói conversou com Gabriela Nanci, dona da rede de material hospitalar Bisturi, para saber que itens são mais ou menos apropriados para o uso diário.


Máscaras: qual usar e como usar?


A máscara N95 e a de camada tripla hospitalar de TNT, já conhecíamos. Tem ainda a PFF2. Elas filtram até 99% do ar e estão custando atualmente R$ 7,90 e R$ 4,90, respectivamente. A N95 pode ser reutilizada por alguns dias, e Gabriela orienta: "É preciso higienizar borrifando álcool na parte externa e só, elas não são laváveis. Há uma exceção, porém: se a pessoa a usar para exercício físico, então ela deve ser descartada em seguida."


Da esquerda para a direita, máscara N95 e PFF2, as recomendadas para o novo momento da pandemia. Máscaras de tecido de algodão continuam sendo válidas.


E qual não usar?


- Máscara neoprene não é muito recomendada, e a de tricot, nem pensar. Máscara de camada única e camada dupla sem filtro tem uma proteção muito baixa, que acaba passando gotículas que acabam causando contaminação. Elas só podem ser usadas por cima de uma máscara mais forte, como reforço.



A máscara neoprene possui um tecido inadequado, e muitas vezes possui costura que expõe a boca e o nariz, partes que deveria proteger. Foto reprodução.


Face shield: a máscara de acetato ficou muito popular, e há quem a use sem máscara. Qual o jeito certo?


- Usando a máscara boa, confiável, de 99%, não tem necessidade dele. Porém, ele é bom, porque é um reforço para proteger os olhos e evitar molhar a máscara, porque é uma barreira. Ele custa certa de R$ 20. Uma opção para quem o acha desconfortável são os óculos de proteção, que tem um custo pequeno, de R$ 9,90 a unidade.


Como usar o faceshield: como reforço sobre uma máscara recomendada. Foto: reprodução

Máscara de tecido ainda é recomendada?


- Países Europeus recentemente começaram a desaconselhar o uso das máscaras de tecido. As chamadas máscaras cirúrgicas continuam aconselháveis, mas apenas as com três camadas e com forro.


Modelo cirúrgico com três camadas e forro de algodão. Foto reprodução.


- Uma novidade é a máscara de fibra com íons de prata: o tecido com íons de prata mata o vírus que entra em contato com a máscara. Ela é mais cara que as opções populares: R$ 259. No entanto, é indicada para fazer exercício e é lavável com água e sabão.


Foto: reprodução.


A OMS e a Secretaria de Saúde de Niterói reforçam que esses cuidados precisam ser associados a distanciamento social, e que aglomerações como festas e shows, mesmo em local aberto, devem ser evitadas.


Afinal, quem deve usar luvas? Elas são indicadas para o dia a dia?


A empresária diz que hospitais e redes de hotel precisam do material para atividades sensíveis, e que os problemas na demanda estão fazendo o mercado inflacionar o valor do produto, o que prejudica a todos, inclusive à loja: “[A demanda] dobrou e o valor subiu de R$ 20 para R$ 90" - valor de uma caixa com 50 unidades atualmente. A matéria-prima para a luva está em falta mundialmente, e o valor do dólar alto também influencia. Para o consumidor não sentir tanto, o jeito foi reduzir a margem de lucro da empresa.


A melhor opção é a higienização. Ela orienta: “A pessoa vai ao mercado de luva, mas leva a mão aos olhos, e vai se contaminar do mesmo jeito. Leve álcool gel para limpar as mãos, é melhor", explica a empresária.


Dona de loja especializada em venda de artigos hospitalares alerta: pessoas devem parar de usar luvas no dia a dia


A empresária sugere que o consumidor comum use luvas somente em caso de cuidados específicos em casa: “Pessoas que têm doentes em casa e precisam cuidar delas, trocar um curativo, precisam de luvas… mas no dia a dia, não.”




© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.