Número de internados dobra nos hospitais particulares de Niterói

Atualizado: Mar 17

Taxa de ocupação de leitos e UTIs chega a 50% na rede privada; 293 pessoas estão internadas, contra 150 na última semana de fevereiro


Movimento na sala de espera do hospital nesta terça-feira, por causa da Covid. Foto de leitor


O movimento nos hospitais da rede particular aumenta muito rapidamente e dobrou em apenas 15 dias do mês de março. De acordo com o relatório dos hospitais particulares de Niterói divulgado nesta terça-feira (16) pelo SINDHLESTE: 157 pessoas estão internadas em leitos reservados para pacientes de Covid (47% do total) e outras 141 ocupam vagas de UTI (50%). No total, 298 pessoas estão internadas em hospitais privados. No último relatório do mês de fevereiro (23/2) eram apenas 150 pessoas.


Nos hospitais particulares, pacientes relatam a presença de um grande número de pessoas aguardando atendimento nas áreas de atendimento ambulatorial reservado para casos de Covid.


O número de internações cresceu muito rapidamente, embora ainda esteja longe do que se registrou nos dois picos da doença, em maio e junho e em novembro e dezembro, quando a ocupação passou de 90% das vagas reservadas para Covid. Depois da segunda onda, no final do ano, a taxa de ocupação havia caído fortemente e em 9/2 o SINHLESTE registrava 63 internações em leitos (19%) e 50 em UTIs (18%). A queda não durou muito: em menos de um mês a doença voltou encher os hospitais.


A rapidez do avanço do Coronavírus é uma medida de preocupação da Secretaria de Saúde. Depois dos 150 internados da última semana de fevereiro, os números progrediram muito rapidamente: 160, em 2/3; 216, em 9/3; e agora 298.


A ocupação dos hospitais da rede do SUS também preocupa a Prefeitura. Na reunião do Gabinete de crise desta segunda-feira (15), o Secretário de Saúde Rodrigo Oliveira informou que a ocupação do Hospital Oceânico de Piratininga passou de 60 internados para 97. No relatório de Monitoramento da Covid o governo informa que dispõe de 83 leitos e 101 vagas de UTI para Covid na rede do SUS. No último documento, datado de 11/3, a taxa de ocupação era de 20 nos leitos e 61% nas UTIs.


A doença ameaça levar ao colapso a rede hospitalar em mais de 20 estados e, nos últimos dias, também avançou no estado do Rio, um dos últimos estados que ainda apresentava queda nos indicadores de casos e mortes. A Secretaria Estadual de Saúde organizou um sistema centralizado de gestão dos pedidos de internação na rede do SUS do estado. Desta forma, municípios sobrecarregados pelos casos da doença podem encontrar atendimento em outras cidades. Niterói participa do sistema e recebeu 15 pacientes de outros municípios. Hoje, a ocupação da rede, segundo o governo do estado, chegou a 81% das vagas disponíveis.