Número de internados de 30 a 39 anos dobrou no Hospital Oceânico em março

Incidência de internações entre pessoas de 40 a 49 anos seguiu a mesma tendência, segundo a Prefeitura de Niterói

Hospital Oceânico tem recebido pacientes mais jovens. Divulgação


Informações divulgadas pela Prefeitura de Niterói trazem um novo retrato da pandemia na cidade. Em transmissão ao vivo do gabinete de crise, o Secretário Municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, relatou que o perfil da doença mudou e hoje ela atinge pessoas mais jovens. Entre fevereiro e março, a quantidade de pacientes de 30 a 39 anos internados no Hospital Oceânico dobrou.


Leia mais: Com indicador síntese 11, Niterói mantém período emergencial até 18 de abril


— A doença está ficando mais jovem. No Hospital Oceânico, a presença pacientes de 30 a 39 anos dobrou, proporcionalmente, inclusive com internações graves. A mesma coisa acontece com a faixa-etária de 40 a 49 anos — relatou Oliveira.


Mais uma vez, o Secretário citou a provável circulação da variante P1 do coronavírus como causa para a mudança no comportamento do vírus, bem como para a incidência em pessoas mais jovens. Ele citou, ainda, que a velocidade de transmissão e a gravidade dos casos é consideravelmente maior do que o que se viu em 2020. Hoje há mais pacientes em ventilação mecânica e intubados do que durante a primeira onda.


— A gente está tendo mais internações, proporcionalmente, do que na primeira versão do coronavírus — afirmou. — Os casos estão mais graves. Por isso o aumento mais expressivo da taxa de ocupação de UTI em relação aos leitos clínicos [de enfermaria].


'Rejuvenescimento' da pandemia


Em Boletim do Observatório Covid-19, divulgado em 26 de março, a Fiocruz fez um alerta sobre a mudança no comportamento do coronavírus no Brasil. Dados estatísticos mostram que a doença tem afetado diferentes faixas etárias do que se viu na primeira onda, indicando o que os pesquisadores consideram um "rejuvenescimento da pandemia".

Desde a primeira semana do ano até 13 de março, membros do Observatório perceberam aumento aumento de mais de 500% na incidência de Covid entre três faixas etárias: 30 a 39 anos, 40 a 49 anos e 50 e 59 anos, sendo o maior aumento entre as pessoas na casa dos 40 anos.