"Nervo." Exposição no MAC revela mutação de objetos e corpos na pandemia

Atualizado: Mar 17

Mostra, que entra em cartaz neste sábado (20), retrata tanto o estado psicológico, quanto a anatomia de seres humanos e animais


Por Livia Figueiredo

Obra da exposição "Nervo", em cartaz no Mac / Foto: Divulgação


“Há algo em sua apresentação que remete a certa ansiedade, já que todas essas figuras parecem estar prestes a realizar uma ação, como caminhar, se quebrar, chorar, pingar, lamber. A tragédia sempre pode ser maquiada com um tom tutti-frutti de desenho animado.” É dessa forma que o curador Raphael Fonseca resume as pinturas da exposição “Nervo” da artista Yuli Yamagata em cartaz a partir deste sábado (20) no Museu de Arte Contemporânea (MAC), em Niterói.


As obras de Yuli Yamagata, que já foi indicada ao prêmio PIPA 2018 e 2019, abordam tanto um estado psicológico, quanto um elemento de humanos e animais. que contém desenhos, onde a anatomia é apresentada de forma dilacerada. A mostra funciona como microcosmo dos efeitos da pandemia da Covid-19. No total, são aproximadamente 25 trabalhos inéditos feitos exclusivamente para o MAC, que demonstram um desejo da artista de dissecar corpos e apresentá-los de forma híbrida, inclinando mais para o inominável do que para o humano.


O curador Raphael Fonseca afirma que a expressão em inglês ‘you’ve got a nerve’ dialoga com o título da exposição, algo que pode ser traduzido como ‘você tem nervos de aço’. “A frase é utilizada normalmente para expressar que alguém tem a audácia de realizar esta ou aquela ação”, sintetiza o curador.


A artista Yuli Yamagata destaca que a exposição passou por vários momentos, uma vez que há trabalhos realizados antes da pandemia e outros feitos durante a quarentena. Ela diz que o elo entre elas talvez seja um sentimento de “está tudo bem, mas ao mesmo tempo está estranho”.


- Agora, não há como dizer que ‘alguma coisa’ está chegando porque ‘alguma coisa’ realmente está aqui, seja ela gigante como a pandemia, ou discreta como o medo de abraçar um amigo. Há diversos tipos de sentimentos que acabaram saindo na exposição como raiva, angústia, esperança, medo, alegria e frustração. Isso me ajudou a digerir um pouco esse momento estranho que estamos passando e espero que possa ajudar também de alguma forma a quem for visitar – ressaltou.


Yuli nasceu em Florianópolis, mas mora em São Paulo desde o início de sua graduação, em 2008. A artista é reconhecida por demonstrar a antítese que existe entre a ‘rigidez’ e a ‘leveza’. Um polvo, uma língua, intestinos, uma cobra, pés, mãos e um milho que tem não apenas um pé, mas também um olho que lacrimeja, são exemplos disso. Suas obras da artista revelam a força que permeia por trás destes objetos banais. A violência impressa não é mera coincidência com o período atual de pandemia.



Protocolos sanitários:


Para garantir a segurança e a saúde dos visitantes e funcionários, por conta da pandemia da Covid-19, são seguidos protocolos sanitários como a higienização das mãos com álcool em gel (na entrada dos banheiros), totem de álcool em gel – acionado pelo pé – em pontos estratégicos, tapetes sanitizantes na entrada do Museu, aferição de temperatura no pátio, obrigatoriedade do uso de máscaras e controle de acesso. A recepção possui um painel de acrílico para proteção dos visitantes e funcionários.

SERVIÇO:

ExposiçãoNervo”, de Yuli Yamagata


Período: de 20 de março a 27 de junho

Visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h

Local: MAC Niterói

Endereço: Mirante da Boa Viagem

Ingresso: R$ 12 (inteira). Estudantes, professores e pessoas acima de 60 anos pagam meia (R$ 6). Entrada gratuita para estudantes da rede pública (ensino médio), crianças de até 7 anos, portadores de necessidades especiais, moradores ou nascidos em Niterói (com apresentação do comprovante de residência) e visitantes de bicicleta.

Na quarta-feira, a entrada é gratuita para todos.