Niterói amplia policiamento na Região Oceânica; praias ficam mais seguras

Atualizado: Out 17

Itaipu, Piratininga e Itacoatiara e outros bairros terão segurança reforçada


O Prefeito Rodrigo Neves e o governador em exercício, Cláudio Castro, na assinatura do acordo. Foto: Divulgação


Inaugurado em dezembro de 2017 em Icaraí, o programa Niterói Presente será ampliado para a Região Oceânica no dia 22 de outubro. No fim da manhã desta terça-feira (06), o prefeito Rodrigo Neves e o governador em exercício, Cláudio Castro, assinaram o acordo para a ampliação.


Depois de Icaraí, o Niterói Presente passou a atuar também em outros sete bairros: Centro, Santa Rosa, Fonseca, São Francisco, Charitas, Jurujuba e Barreto. Com a ampliação, o efetivo do Niterói Presente chegará a 488 agentes por dia na cidade. O investimento da Prefeitura será ampliado para cerca de R$ 137 milhões por ano. O início das operações na Região Oceânica está marcado para 22 de outubro.


Pelo convênio, o Governo do Estado cede policiais militares, que atuam na cidade nos dias de folga, e a Prefeitura de Niterói fica responsável por financiar todas as despesas do programa, incluindo o pagamento dos policiais militares e agentes civis que atuam nos bairros.


- Em 2013, assumimos a cidade com enormes desafios na gestão fiscal e na segurança pública. Em 2017 iniciamos essa parceria com o Governo do Estado, que ajudou Niterói a reduzir todos os índices de criminalidade. Com o túnel Charitas-Cafubá, a Região Oceânica virou um vetor de desenvolvimento sustentável de Niterói e, evidentemente, as distâncias se encurtaram - disse o Prefeito Rodrigo Neves.


O governador em exercício disse que a parceria do Governo do Estado com a Prefeitura é um grande exemplo para os demais municípios fluminenses.


- Estamos inaugurando um novo tempo, de diálogo, parceria, de construção da sociedade. Gostaria de parabenizar por todo trabalho feito em Niterói. Essa cidade que eu tenho muito carinho e que foi a primeira cidade que me recebeu no Rio, quando saí de Santos. O perfeito pegou a cidade num momento fiscal, de segurança e financeiro muito difícil e está entregando ao seu sucessor uma grande obrigação, não mais de estruturar, mas de manter o que foi feito”, elogiou o governador em exercício.


Niterói registrou, em setembro deste ano, em meio à pandemia de Covid, a menor taxa de letalidade dos últimos 17 anos. Houve apenas uma ocorrência de homicídio na cidade. Os dados são do Observatório de Segurança da Prefeitura de Niterói que, todo mês, analisa os indicadores letalidade violenta (soma das ocorrências de homicídio doloso, homicídio decorrente de oposição à intervenção policial, latrocínio e lesão corporal seguida de morte); roubo de veículos; e roubo de rua (roubo a pedestres, de celulares e assalto em ônibus). A série histórica começou em 2003.


Além da queda na letalidade violenta, outro indicador que apresentou redução foi o de roubo de rua. Foram 92 registros no mês de setembro – uma redução de 153 casos ou -62,45% na comparação com o mesmo período de 2019. A maior redução foi na área da 76ª DP (Centro), de 83,33%; seguida da área da 77ª DP (Icaraí), com queda de 71,11%. Na área da 79ª DP (Jurujuba), houve redução de 65%; na região da 78ª DP (Fonseca) foi registrada queda de 49% nos registros; e uma redução de 36% na área da 81ªDP.


Com relação a roubo de veículos, o levantamento mostra redução de 56,92% desse crime em setembro, na comparação com o mesmo mês no ano passado. Os melhores resultados foram nas áreas da 79ª DP (Jurujuba), com redução de 80%, 81ª DP (Itaipu), com -77,78%, 77ª DP (Icaraí), com -75%. A área da 76ª DP (Centro) apresentou queda de 60% e a da 78ª DP (Fonseca) teve diminuição de 43%.


Investimentos em tecnologia, segurança e prevenção – Além do reforço no policiamento, a Prefeitura disponibiliza ainda outras ferramentas para ajudar as forças de segurança. A cidade conta com o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), operado pela Guarda Municipal, que monitora a cidade 24 horas por dia com 522 câmeras instaladas em pontos estratégicos. A Prefeitura de Niterói também instalou o sistema de cercamento eletrônico, tecnologia que usa inteligência artificial e 70 câmeras para identificar carros roubados, furtados ou clonados em frações de segundo, nas entradas, saídas e principais vias da cidade. Os portais emitem alertas para que o veículo seja rastreado e interceptado pela polícia.


O Pacto Niterói Contra a Violência prevê investimento de R$ 304 milhões até 2020 em 18 projetos com o objetivo de reduzir a violência na cidade. Entre eles estão o Niterói Jovem Eco Social, onde cerca de 400 jovens de comunidades estão recebendo bolsas auxílio para fazer cursos profissionalizantes na Firjan e realizar reflorestamento em áreas de preservação na cidade. Outro programa é a Rede Mediar, onde líderes comunitários são capacitados para atuarem como mediadores de conflitos em suas regiões. As capacitações serão realizadas através de uma parceria entre a Prefeitura de Niterói e o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).


© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.