Niterói se prepara para ‘Black Friday’ entre o otimismo e o pessimismo

Presidente do CDL vê período de vendas com esperança. Já para o dirigente da Acierj, é necessário cautela

por Gabriel Gontijo

Já é Natal nas galerias de comércio ao longo da Moreira César, em Icaraí: semana de descontos


Época em que os lojistas têm expectativas sobre um bom número de vendas, a Black Friday em Niterói tornou-se ainda mais aguardada para o comércio local por causa dos impactos econômicos causados pela pandemia de Covid-19. E, apesar da potencial ajuda que o dia (sexta, 27) ou mesmo a semana inteira de promoções pode trazer para os lojistas niteroienses, não há um consenso sobre como esse período de descontos trará benefícios para os comerciantes.


Termômetro para as vendas de Natal


Com mais de 7.700 postos de trabalho fechados no primeiro semestre por causa da pandemia, a recuperação apresentou sinais lentos em agosto, com a criação de pouco mais de 500 vagas de emprego. E, para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói, Luiz Vieira, a edição da Black Friday será uma espécie de termômetro também para as vendas de Natal.


-Diante de tudo o que aconteceu por causa da pandemia, qualquer evento positivo para o comércio, como esse, é impactante. O comércio ficou parado por 4 meses graças a medidas de isolamento que eram necessárias. Como o comércio não consegue recuperar neste ano tudo o que perdeu ao longo de 2020, é muito importante ver como será a movimentação da Black Friday até para termos uma ideia de como serão as vendas de final de ano - analisa Vieira.


Ele ressalta que, na prática a Black Friday, torna-se uma "Black Week" por causa das ações duradouras do comércio. E é essa estratégia que se torna mais fundamental este ano, pois as empresas podem conquistar a clientela de diferentes formas em um prazo que se mostra importante na atualidade.


Mas Vieira ressalta que, mais importante do que aproveitar as promoções aparentemente imperdíveis, é prestar atenção nas ofertas de lojas locais por serem de melhor acesso. Ele explica também que é preciso ficar atento porque muitas empresas fazem vendas virtuais, o que facilita possíveis golpes. Para o presidente do CDL, a vantagem de aproveitar a semana de promoções no comércio local se dá pelo fato de o contato pessoal tornar ágil qualquer forma de resolver algum problema.


Se para alguns o período de ofertas pode ajudar o comércio local, para outros é necessário ter cautela justamente por causa da pandemia. Esta é a opinião do presidente da Associação Comercial e Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Acierj), Luiz Paulino. Para o atual comandante da entidade, que é sediada em Niterói, o impacto da Covid-19 não permite que esse período seja visto por ele como algo otimista.


-A pandemia abalou várias empresas de inúmeras formas. Então, se a gente analisar o comércio local, tirando grandes marcas nacionais do varejo, acredito que infelizmente não vá ajudar tanto não. É claro que estou torcendo muito para a recuperação e estabilidade do comércio, mas é inegável que as coisas estão preocupantes - diz Paulino.


O presidente da Acierj explica que os fornecedores tiveram fortes prejuízos, ao passo que alguns clientes não conseguiram honrar os pagamentos. Além disso, a matéria-prima, "que é a base de tudo", encontra-se escassa no mercado. E é esse conjunto de razões que obriga o comerciante a ter cautela nesse momento, adverte Paulino.


Feriado desta sexta pode emendar com semana de ofertas


A Black Friday, o dia de grandes promoções no varejo, ocorre tradicionalmente na última sexta-feira (friday) de novembro, que este ano cai no dia 27. Mas, em muitos casos, mesmo nos últimos anos antes da pandemia, lojistas costumam promover os descontos ao longo de toda a semana como forma de incrementar as vendas. Muitos comerciantes de Niterói farão isso, inclusive, a partir desta sexta, 20, para aproveitar o feriado pelo Dia da Consciência Negra.


728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.