Niterói tem maior número de casos de Covid, em uma semana, desde julho

Prefeitura libera atividades previstas para estágio Amarelo-1, de maior controle da doença


Dados divulgados pela Prefeitura mostram aumento de casos na última semana


O número de novos casos de Covid registrados na última semana, a quadragésima-segunda semana epidemiológica, é o maior em três meses, quando a doença ainda estava perto do pico. Foram 537 casos, de acordo com os boletins divulgados diariamente pela Prefeitura e tabulados pelo A Seguir Niterói. Desde julho não se registrava tantos casos.


O registro de novos casos é um dos indicadores de que a doença ainda circula na cidade, e um dos fatores para a longa permanência de Niterói no estágio de Alerta Amarelo-2. A abertura de uma série de atividades que só deveriam ser liberadas com maior controle da doença, segundo o plano de transição para o Novo Normal, talvez possa explicar a longa duração da pandemia na cidade e no Brasil. Parques, escolas e cinemas, de acordo com o plano original da Prefeitura, só deveriam voltar a funcionar no estágio Amarelo-1, ainda não atingido.



Os gráficos da evolução dos casos e mortes por Covid, segundo os dados da Prefeitura, organizados de acordo com os parâmetros da OMS e adotados universalmente, indicam que a maior incidência da doença aconteceu em maio e junho. Em julho e agosto, houve uma queda e um primeiro “platô”, como definem os epidemiologistas, uma espécie de degrau na trajetória da doença. Em agosto, houve nova mudança, um melhora de patamar. Há sete semanas os índices se mantêm constantes. Mas o número de casos voltou a subir, depois da retomada de algumas atividades.


A Prefeitura sustenta que estes números são registrados por data de notificação da doença, o momento de confirmação do óbito por Covid, e por isto refletem mais o passado do que o presente. Alega que muitas mortes aconteceram semanas, até meses atrás, e apenas agora são notificadas. O critério, no entanto, é oficialmente adotado em todo o mundo - e no Brasil, reconhecido pelo Ministério da Saúde. A Universidade americana Johns Hopkins exibe os gráficos de mais de 150 países. Uma base de dados que permite a análise da evolução da doença no planeta.


A Secretaria de Saúde pública também um painel da Covid no sistema de gestão da informação, o SIGeo, tomando por base o lançamento de casos e mortes nas datas em que a doença efetivamente aconteceu. São dados importantes para a pesquisa e para o entendimento mais preciso da evolução da doença - mas a liberação destes dados é lenta, pode ter até dois meses de atraso, o que não permite que sirva para a avaliação real da pandemia.


De qualquer forma, os gráficos disponibilizados pela Prefeitura indicam, claramente, o pico da doença e a formação do chamado “platô”, que confirma a permanência da doença. A curva de casos mostra que o pico da doença foi muito mais intenso do que se notava na época. À medida que os dados vão sendo atualizados, a cada nova série, mais flagrante a tendência. No caso de mortes, é visível o aumento do número de falecimentos ocorridos no pico da doença, bem acima do que se reportava na época. Em geral, dados revisados, costumam corrigir a subnotificação e os momentos de concentração de uma epidemia - nunca uma diminuição. O fato de aparecerem menos casos do que os já documentados revela o atraso na pesquisa.


Gráfico indica atualização dos casos de Covid, por data da doença, feita pela Prefeitura no Painel da Covid, no SIGeo


Gráfico da Prefeitura atualiza registros de mortes, por data efetiva de falecimento, no Painel da Covid, no SIGeo


A Prefeitura publica também em seu site os índices de monitoramento da Covid, uma planilha que considera 12 itens diferentes - como número de casos, mortos, ocupação de leitos hospitalares e letalidade da doença, entre outros - para avaliação do estágio de controle da doença. É o índice final, o indicador-síntese, como diz o Prefeito, que vai estabelecer o estágio de alerta. Vermelho, Laranja, Amarelo-2, Amarelo-1 ou Verde, o mais próximo do normal, antes da descoberta de uma vacina. O último relatório indica 5,75. Para mudar de estágio, numa categoria de maior flexibilização das atividades, Niterói precisaria ter um índice igual ou menor que 5. A publicação destes dados não costuma ser detalhada pela Prefeitura e não é regular. O último relatório, por exemplo, data de 8 de outubro.


Disponível em: http://secretariaexecutiva.niteroi.rj.gov.br/downloads/banner/08-10-2020-SES-Indicadores%20Monitoramento.pdf

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.