Novo Mercado Municipal de Niterói fecha negócios já no primeiro dia

Para a diretora Sofia Avny, projeto vai se tornar uma atração do Estado


Por Carolina Ribeiro


Projeção do Novo Mercado Municipal após reforma. Foto: Divulgação


As negociações já estão abertas e parece que a todo vapor! Seis das 180 lojas disponíveis no Novo Mercado Municipal, no Centro de Niterói, já foram vendidas no primeiro dia das transações, nesta terça-feira, 1 de setembro. O empreendimento, a ser inaugurado no aniversário da cidade, em 22 de novembro, está sendo revitalizado para ser um novo polo turístico, cultural e gastronômico do município. É uma das apostas para a retomada econômica da cidade.


As negociações acontecem na sala de reuniões da Associação Comercial (Avenida Amaral Peixoto 286, 5º andar, Centro de Niterói), com a presença da empresária Sofia Avny. Diretora da Nacional Shopping, de São Paulo, é ela a representante do consórcio de empresas privadas por trás do projeto, e quem está tocando as negociações.


- O mais importante é que a cidade entendeu a proposta do Mercado. Não é um shopping. São características diferentes. A ideia é oferecer produtos locais, comidas, cervejas, valorizando as características regionais e artesanais, diferente de uma praça de alimentação. Esse mix de atrações é que vai determinar o sucesso do Mercado - explica.


Sofia diz que muitas empresas se apresentaram, mas é feita uma triagem dos interessados, se são compatíveis com a proposta do Mercado. Depois da primeira rodada de negociações, ela conta que “o mais difícil é explicar para um lojista interessado em estar no Mercado que o produto dele não cabe ali.”


A empresária confia no sucesso do projeto, pelas características e pela localização. Muito perto da Ponte. Diz que a reurbanização da área vai melhorar muito o trânsito na descida da Ponte. Mesmo morando em São Paulo, ela já percebeu, como todo niteroiense, que aquele trecho está engarrafado a qualquer hora do dia. Sofia acredita que vai conseguir negociar as lojas, apesar do momento de crise.


- Nós estabelecemos um preço justo, em função da perspectiva de retorno que o Mercado oferece. É mais barato que um shopping. E terá movimento todos os dias, o dia inteiro. Segundo ela, os preços foram calculados tomando por base a economia de 2018. “Não consideramos 2019, porque foi um ano muito bom. E 2020 não nos dá muitas referências, em função da pandemia”, explica, sem revelar os valores cobrados. Estes ficam para a conversa face a face.

Leia mais: Mercado Municipal de Niterói já tem 100 lojas interessadas


- Hoje foi só o primeiro dia, o consórcio está organizando o escritório de vendas e terá uma agenda bem definida. A expectativa para o mercado está muito boa, será o único da região, que abrange todo o Grande Rio, e com interesse de investidores não só locais - adiantou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Luiz Paulino Moreira Leite, um dos idealizadores da obra.


Os detalhes são um mistério e as revelações acontecem pouco a pouco. Em meados de agosto foi divulgado o projeto comercial do Mercado Municipal. São 180 lojas no prédio principal, com tamanhos variados. As menores, de 8 metros quadrados, serão destinadas a pequenos produtores, mas há lojas maiores, de até 134 metros quadrados, e também o espaço dos restaurantes no mezanino. Mas o preço? Somente indo conhecer...


- Os preços variam de acordo com o tamanho da loja, mas também pode ser por categoria, isto é, localização da loja dentro do mercado. Mas o projeto atende a todos, os empresários que foram hoje (terça, 1º) não reclamaram dos valores, acharam preços juntos - comenta Paulino, acrescentando que há bastante gente agendada.


Paulino com o Prefeito e Sofia, no lançamento comercial do Novo Mercado Municipal


O térreo será um espaço para a comercialização de frutas, verduras, legumes, produtos tradicionais da região, açougue, empórios especiais, produtos gourmet, queijos, laticínios e especiarias. No mezanino ficarão restaurante, cervejarias artesanais e uma adega.


- Muitos empresários de São Paulo, Minas, Curitiba e Florianópolis, que têm lojas no mercado municipal dessas cidades, estão nos procurando. Estão interessados no espaço, não só pelo charme do Rio, mas pela potência desse segundo mercado consumidor brasileiro - afirma.


Mas os empresários de Niterói terão prioridade. Eles esperam que as grandes marcas e empresas da cidade, principalmente as de gastronomia e também cervejarias, estejam presentes por lá. Orgulhoso pelo empreendimento, o secretário sonha com alguns nomes...


- Em Niterói temos a Dona Henriqueta, o Seu Mário, a Paludo, a Noi, o Seu Antônio, são ícones na gastronomia da cidade. São nomes que rondam a minha expectativa, afinal de contas, eu incentivei a reabertura do mercado. E hoje Niterói já recebe um público de fora pelos restaurantes, pelas cervejas... - complementa.


Confira: A alma encantadora dos mercados municipais


E já são planejados eventos de chefs renomados de todo o país, com direito a degustação e workshops. Festivais de comidas tradicionais também terão espaço garantido.


- Será um negócio de primeiro mundo - finalizou Paulino.


A Parceria Público Privada (PPP) entre a Prefeitura e o Consórcio Novo Mercado Municipal foi feita para a reforma e a gestão do espaço por 25 anos. O investimento do consórcio será de R$ 69 milhões em três anos, sendo R$ 30 milhões na reforma do atual prédio.


Já no prédio anexo serão construídas uma nova praça, boulevard e estacionamento com 300 vagas. E não só isso. O espaço ganhará ainda uma sala de convenções, um cinema e até um teatro, mas somente nas próximas fases. Tudo com medidas de sustentabilidade, como o uso da luz natural, reaproveitamento de água de chuva e telhado verde.


Para garantir o sucesso do empreendimento a partir das visitações, a Prefeitura está estruturando intervenções urbanas no entorno do Mercado. A área, conhecida por ser de uma parte degradada e menos movimentada do Centro, terá um novo acesso pela Ponte Rio-Niterói para quem mora no Rio, novas calçadas, paisagismo e iluminação de LED.



728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.