Ocupação de leitos clínicos volta a subir na rede privada de Niterói; UTIs seguem em estabilidade

Números continuam altos, mas situação é menos grave se comparada ao começo de abril, quando rede beirou o colapso


Por Livia Figueiredo

Foto: Reprodução da internet


A ocupação de leitos reservados para Covid-19 voltou a crescer na rede particular de Niterói. A informação consta no último boletim do Sindicato dos Hospitais Clínicas e Casas de Saúde de Niterói (SINDHLESTE), que mostra que 53% dos quartos para pacientes Covid estão ocupados, enquanto na semana passada eram 43%. Aumento de 20% em cinco dias. Já nas UTIs, houve queda de 65% para 62% de ocupação, indicando estabilidade.


Leia mais: Niterói retoma aplicação de segunda dose da Coronavac por faixa-etária


Os números indicam que a taxa de contaminação continua alta na cidade, embora em níveis menos críticos do que os do começo de abril, auge da terceira onda da pandemia. No primeiro boletim daquele mês, os hospitais particulares apresentavam taxa de ocupação de 84% dos leitos clínicos e 92% dos de terapia intensiva.


Já a Prefeitura de Niterói apresenta um panorama mais amplo, que soma os leitos públicos e privados. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 77,3% dos leitos de UTI da cidade estão ocupados. Quanto aos leitos clínicos, a média de ocupação é de 59,9%.